Comércio e indústria estão reunidos para evitar fechamento das facções no RN

O comércio e a indústria do Rio Grande do Norte estão se reunindo para evitar o fechamento das facções de costura no interior do estado. A posição foi garantida pelo presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio-RN), Marcelo Queiroz, em entrevista concedida a imprensa.

De acordo com Marcelo, todo o setor empresarial está vendo com “bastante preocupação” a posição do Ministério Público do Trabalho, ao apontar irregularidades nas facções de costura. O órgão pede indenização coletiva de R$ 38 milhões, e exige que a Guararapes assuma responsabilidade sobre direitos dos trabalhadores que atuma nas facções.

“Vemos a situação toda com bastante preocupação, as facções vêm crescendo a cada dia em vários estados do Brasil e no RN é algo que está agregando aproximadamente 3 mil empregos. Com essas atitudes do MP, com certeza vai prejudicar diretamente o trabalhador, e nós do Comércio e da Indústria estamos nos reunindo para ver o que podemos fazer para tentar evitar isso”, prometeu o presidente da Fecomércio.

Marcelo Queiroz deve estar presente no encontro deste sábado 16, em São José do Seridó, quando representantes do setor industrial e econômico do estado ouvirão os trabalhadores e tentarão encontrar alguma saída viável para o problema.

Portal Agora RN

Escreva sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Lista de comentários