Não se engane: Lula ainda não foi absolvido no caso do tríplex

A Justiça de São Paulo absolveu sumariamente – sem sequer iniciar as audiências de instrução - nesta quarta-feira (19) 12 réus em um processo que tratava do caso do tríplex no Guarujá. A denúncia havia sido feita no ano passado pelo Ministério Público de São Paulo e, na ocasião, os promotores chegaram a pedir a prisão preventiva de Lula. A juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga de Oliveira, porém, remeteu a parte referente ao ex-presidente para Curitiba, sob os cuidados do juiz federal Sergio Moro.

A absolvição sumária significa que a juíza entendeu que a denúncia não tem fundamento após analisar as defesas prévias dos acusados. A magistrada não achou necessário sequer ouvir as testemunhas de acusação, de defesa ou os réus do processo para tomar uma decisão.

No processo que corria em São Paulo há réus que também respondem a um processo envolvendo o tríplex em Curitiba, como o ex-presidente da OAS Leo Pinheiro e os executivos da empresa Fabio Yonamine e Roberto Ferreira. Os três foram absolvidos nessa quarta-feira (19) pela juíza, junto com outros nove réus. Segundo a juíza, o executivo Roberto Ferreira sequer trabalhava na OAS na época em que o MPF o acusa de ter cometido crimes.

Escreva sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Lista de comentários