Suspeito de envolvimento em morte de Sargento PM é assassinado em Umarizal

Um crime de homicídio com requintes de crueldade foi registrado, no final da noite desta quinta feira 22 de agosto de 2019, na Ruas das Flores, no Bairro São José na cidade de Umarizal distante 118 Km de Mossoró, na região Oeste do Rio Grande do Norte. Segundo a PM, o ex-presidiário Paulo Ricardo Alves Batista de 24 anos, foi executado dentro de casa naquela cidade.

A Polícia Militar, que atendeu a ocorrência e isolou o local do crime, informou que os atiradores, chegaram na casa da vítima e se identificando como polícia, chamaram pelo seu nome e quando Paulo Ricardo abriu a porta, eles invadiram a residência e o executaram com tiros de escopeta calibre 12 e de pistola. De acordo com a equipe da perícia criminal do Itep de Mossoró, o corpo ficou irreconhecível, diante dos inúmeros disparos sofrido pela  vítima que teve a cabeça esfacelada.

Segundo informações que constam no site do Tribal de Justiça do RN, Paulo Ricardo respondia processos por crimes de latrocínio, roubo,formação de quadrilha,tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, nas comarcas de Parnamirim, Caraúbas e Umarizal. Ele era suspeito de envolvimento no assassinato do sargento aposentado da PM Almir Lúcio da Silva, crime ocorrido dia 1º de junho de 2015 em Parnamirim.

O sargento Almir, como era mais conhecido, foi morto durante uma tentativa de assalto em uma residência no bairro Parque Industrial, em Parnamirim região Metropolitana de Natal no RN. Paulo Ricardo também era suspeito de assaltar uma farmácia em Baraúna, usando farda da Polícia Militar. O assalto foi em agosto de 2015 e foram levados 22 mil reais do estabelecimento comercial.

Paulo Ricardo havia deixado a prisão por meio de livramento condicional. O mesmo esteve preso na Penitenciária Mário Negócio em Mossoró, bem como no extinto CDP de Patu, onde chegou a fugir daquela unidade prisional. Após os trabalhos da perícia o corpo do ex-presidiário foi removido para ser necropsiado na unidade regional do ITEP em Mossoró e após ser examinado será liberado para os familiares. A Polícia Civil vai investigar o crime.

Fim da Linha

Escreva sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado.