Ministro vem ao Nordeste e exigência de antecedentes criminais a jornalistas que ouvirão Paulo Guedes irrita categoria. Sindicato emite nota

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participará nesta semana de sua 1ª agenda pública na região Nordeste desde que assumiu a cadeira. Estará em Fortaleza na 5ª feira (5.set.2019) para falar no seminário “A Nova Economia do Brasil – o impacto para a região Nordeste”.

Paulo Guedes falará a um público de cerca de 400 empresários da região sobre os planos do governo federal para a economia brasileira nos próximos anos e como as propostas devem impactar o crescimento no Nordeste.

O evento será realizado no Espaço Coco Bambu Por Toca, na capital cearense, das 14h às 15h30. A participação é restrita a convidados.

POLÊMICA

A assessoria do Ministro exige antecedentes criminais a jornalistas que ouvirão Paulo Guedes, o que irritou a categoria. O Ministério alega questão de segurança.

CONFIRA NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) repudiam com veemência a exigência colocada pelo Ministério da Economia, chefiado pelo economista Paulo Guedes, de que jornalistas apesentem “atestado de antecedentes criminais” para poderem obter credencial para a cobertura da agenda do ministro em Fortaleza.

Uma obrigatoriedade completamente inédita e absurda. Como reportou nesta tarde o jornal O Povo, uma cobrança “nunca antes apresentada para o acompanhamento de autoridades durante suas passagens pelo Ceará”. Nem presidentes demandaram tal questão.

Para o Sindjorce e a FENAJ, a medida do Ministério faz parte da cruzada liderada por Bolsonaro contra a imprensa, sobretudo contra os veículos e os profissionais que comentem o “pecado” de fazer jornalismo em tempos de autoritarismo, de disseminação do ódio e de destruição de direitos sociais e trabalhistas.

Enquanto sociedade civil organizada, representações de classe e lideranças populares, não podemos nos calar diante de todos esses atos imperiosos. Seguimos atentos em defesa da democracia e de uma imprensa livre, crítica, plural e voltada ao interesse público.


Escreva sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado.