Com 78 vagas, concurso da Anvisa deve pagar até R$ 6 mil

anvisa-dd-1200-696x363

A GRU Cobrança pode ser paga em qualquer banco, bem como nas casas lotéricas e nos Correios, e o boleto pode ser reimpresso pela página de acompanhamento do concurso.

As inscrições dos candidatos só serão efetivadas após a confirmação do p

Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), abriu concurso público para 78  vagas de técnico administrativo. As inscrições podem ser feitas até o dia 29 de setembro, apenas pelo site do Cebraspe (antigo Cespe) e o pagamento da taxa de inscrição, de R$ 70, até 25 de outubro.Mais >

Concurso Anvisa: Ministério autoriza concurso para nível médio. Inicial de R$ 6 mil!

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Excelente notícia para os concurseiro/as de todo Brasil! O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorizou por meio de publicação no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 18 de abril, a realização de concurso público para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Concurso Anvisa 2016) com objetivo de substituir os servidores terceirizados.

Segundo o documento, o concurso público visa o provimento de 78 vagas no cargo de Técnico Administrativo e a publicação do edital deverá ser realizada em seis meses, ou seja, até o dia 15 de outubro. Como as contratações serão feitas pelo regime estatutário, quem for selecionado terá a estabilidade no emprego garantida.

O cargo propicia remuneração inicial de R$ 6.062,36, valor composto pelo salário-base de R$ 3.109,52, gratificação de desempenho de R$ 2.580 e auxílio-alimentação de R$ 373. O técnico administrativo tem carga de trabalho de 40 horas semanais.

Rótulos terão que informar sobre alimentos que causam alergia

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quarta-feira (24), por unanimidade, resolução que trata da rotulagem obrigatória dos principais alimentos que causam alergias.

Os rótulos, a partir de agora, devem informar a existência de 17 alimentos considerados alergênicos: trigo (centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas); crustáceos; ovos; peixes; amendoim; soja; leite de todos os mamíferos; amêndoa; avelã; castanha de caju; castanha do Pará; macadâmia; nozes; pecã; pistaches; pinoli; castanhas; e látex natural.

A regra prevê ainda que as informações nos rótulos de produtos derivados desses alimentos sejam as seguintes: Alérgicos: contém (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares); Alérgicos: contém derivados de (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares); ou Alérgicos: contém (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares) e derivados.

Mais >