TRE pode dar mandato de Beto Rosado a Fernando Mineiro


O mandato do deputado federal Beto Rosado (PP) segue sob risco. Na segunda feira (30), o juiz Ricardo Tinoco de Góes, do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, negou recurso do candidato a deputado federal Kériclis Alves Ribeiro, o Kerinho, que tentava suspender trâmite de processo sobre o registro de sua candidatura na eleição de 2018. Os votos, que foram contabilizados para a chapa que elegeu Beto Rosado, podem ser invalidados e, assim, o ex-deputado estadual Fernando Mineiro (PT) pode conseguir a vaga na Câmara dos Deputados.

O processo trata sobre um pedido Mineiro para a impugnação da candidatura de Kerinho, alegando que o candidato não havia se desincombatibilizado no período determinado pela lei eleitoral. O petista juntou ao processo uma certidão emitida pela Prefeitura de Monte Alegre atestando que Kerinho ocupou cargo comissionado na Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social entre 1º de fevereiro e 30 de dezembro de 2018. Assim, os votos deveriam ser invalidados.

Mais >

Beto Rosado e Bolsonaro apresentam projeto para instalação de bloqueadores de celular nos presídios

1O deputado federal Beto Rosado (PP-RN) apresentou o projeto de lei Nº 1281/2015, que obriga empresas de telecomunicações a instalar bloqueadores de sinais de celular nos presídios ou centro de detenções com mais de 200 presos em todo o país. A proposta tem como co-autor o deputado Jair Bolsonaro  (PP-RJ) e nasceu de uma conversa de Beto com o secretário estadual de justiça, Edilson França.

“Recentemente, vivemos no estado uma onda de ações criminosas comandadas de dentro para fora dos presídios. Uma das coisas que facilitam essa comunicação a partir das penitenciárias é a falta de bloqueadores de sinais, daí a importância da proposta, que sugere a utilização do Fundo Nacional Antidrogas para ressarcir as despesas que as empresas terão com a instalação dos bloqueadores”, continuou Beto Rosado.

O deputado explicou ainda que algumas legislações estaduais buscaram regular esse tema em regiões diferentes do país, mas as regras são frágeis por falta de uma lei federal.