Caixa libera FGTS emergencial a partir de segunda, 31

A CAIXA credita nesta segunda-feira (31) o Saque Emergencial do FGTS para os trabalhadores nascidos em setembro. Nessa etapa, o valor estará disponível para cinco milhões de trabalhadores, no montante de R$ 3,2 bilhões.

O saque tem como objetivo o enfrentamento do estado de calamidade pública reconhecido pelo Governo Federal em razão da pandemia do novo Coronavírus e movimentará durante todo calendário cerca de R$ 37,8 bilhões para aproximadamente 60 milhões de trabalhadores.

Mais >

Caixa anuncia cronograma para saques do FGTS

A Caixa Econômica Federal anuncia nesta segunda-feira (5), o cronograma de liberação do saque imediato de parcela de até R$ 500 por conta ativa ou conta inativa do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Conforme a Medida Provisória nº 889, as liberações ocorrerão de setembro deste ano a março de 2020.

A projeção do Ministério da Economia é alcançar 96 milhões de trabalhadores e injetar R$ 30 bilhões na economia – R$ 28 bilhões em 2019 e R$ 12 bilhões em 2020.

A indústria e o comércio têm expectativa de aquecimento econômico com a liberação desses recursos. Segundo o economista Marcelo Azevedo, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), “é uma medida de curto prazo que é fundamental para a retomada da economia. Se as medidas de longo prazo (como as reformas da Previdência Social e tributária) vão ajudar a sustentar (o crescimento), medidas como liberação de recursos têm potencial de, no curto prazo, uma injeção necessária para o primeiro arranque na economia”, defende.

Mais >

Caixa confirma a Rafael Motta liberação de R$ 30 milhões para Minha Casa Minha Vida

O deputado Federal Rafael Motta (PSB) teve a confirmação na Caixa Econômica Federal (CEF) da liberação de verbas para o Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) durante reunião na quarta-feira (8), na sede do banco.  
O vice-presidente de Habitação, Nelson de Souza, e o superintendente nacional do MCMV, Henrique Marra, informaram ao deputado que o valor é de R$ 30 milhões, sendo que R$ 13 milhões já foram liberados (referentes aos meses de setembro e outubro) enquanto os demais R$ 17 milhões serão liberados até o fim deste ano. 
Para Rafael Motta, a notícia dessa liberação é muito importante tendo em vista que o atraso no repasse ocorrido recentemente vinha causando apreensão em pequenos empresários da construção civil e em pessoas que queriam adquirir um imóvel por meio do programa do Governo Federal. 
O superintendente complementou explicando que esse valor total é para financiamento de balcão individual que contempla os pequenos construtores e também pessoas com renda até R$ 4 mil interessadas em adquirir um imóvel no MCMV.

Após queixas, Caixa vai liberar crédito imobiliário travado exigindo entrada maior

A Caixa Econômica Federal anunciou que vai concluir até 30 de novembro todas as propostas de crédito habitacional que foram aprovadas pelo banco, mas ficaram paradas à espera de recursos, antes da exigência de 50% de entrada para imóveis usados.

Os processos ficaram travados no banco sem a assinatura dos contratos e os compradores temiam perder os imóveis, como mostrou matéria do G1 publicada neste sábado (4).

Em setembro, a Caixa aumentou de 30% para 50% a exigência da entrada para financiar imóveis usados com recursos do SBPE (caderneta de poupança). No mesmo período, o banco adotou um sistema de dotação mensal que tornou a liberação dos recursos mais lenta.Mais >

4 fatos que fizeram a Caixa pedir socorro

A Caixa precisa se adequar para regras internacionais de proteção a crises mais rígidas, que entram em vigor a partir de 2019. E não vai conseguir fazer isso sozinha: já pediu ajuda ao governo federal.

O que a União vai fazer para socorrer o banco ainda é um mistério, mas um caminho tortuoso, com erros de gestão e escândalos de corrupção, fez a Caixa chegar a essa posição em que está hoje. Relembre quatro fatos que colaboraram para a Caixa precisar de socorro agora.

Sete Brasil: prejuízo milionárioMais >

Privatizar: Governo admite estudo para transformar Caixa em Sociedade Anônima

Sem dinheiro para que o governo faça um aporte de recursos na Caixa, a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, confirmou nesta quinta-feira, 26, as negociações de alternativas para que o banco reforce seu capital e não descumpra normas internacionais de proteção contra crises no sistema bancário.

Em nome do ego privatizador de Temer, a executiva também admitiu os estudos para transformar a Caixa em Sociedade Anônima (S.A.). As informações foram antecipadas pelo Estadão/Broadcast.

Ana Paula explicou que, para fortalecer o capital da Caixa e assegurar sua capacidade de continuar emprestando, o governo está dando prioridade à operação com o FGTS que transforma R$ 10 bilhões de dívida que o banco tem hoje com o fundo em instrumento perpétuo.Mais >

Por que a Caixa Econômica precisa de socorro bilionário? Entenda!

Desde o ano passado circulam rumores de que a Caixa Econômica Federal precisaria de ajuda da União para se capitalizar. Se em 2016, a postura do banco foi a de negar as informações, neste ano a conversa é diferente. 

Em entrevista ao “Wall Street Journal”, o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, admitiu que o banco precisa vender ativos – abrir o capital da Caixa Seguridade e privatizar a Lotex, por exemplo – e cortar dividendos para evitar um pedido de socorro no ano que vem. Caso contrário, o banco vai mesmo precisar de um aporte do Tesouro.

Entre as alternativas em análise estão ajudas vindas do BNDES e até do FGTS. Tudo isso em meio aos boatos de que o banco todo pode ser privatizado e os escândalos de corrupção em que ex-dirigentes se meteram. Mas, afinal, por que a Caixa precisa de ajuda?Mais >

Contagem regressiva: Plano de Temer para privatizar a Caixa entra em operação

Um plano bem articulado do presidente Michel Temer para entregar a Caixa Econômica Federal a banqueiros internacionais começa a ser colocado em prática. O governo Temer quer desgastar a imagem da Caixa com a população para facilitar a venda da instituição. Funcionários começam a ficar preocupados com alguns acontecimentos.

O primeiro passo é jogar a população contra a instituição bancária, e como isto acontece? Fácil! Provoca esvaziamento no quadro funcional e retira serviços, como financiamento da casa própria e outros, desta forma, quem vai ficar contente com um banco assim? Bem, é aí que o mirabolante plano começa, em Caicó, por exemplo, já começou.

Um funcionário da estatal disse que já circula um documento interno dando conta da operação. “Estamos estressados, sabemos que podemos perder todo o plano de carreira que estamos construindo ao longo do tempo, ficaremos nas mãos dos estrangeiros, só vão contratar quem eles quiserem. Além disso, o serviço para a população carente vai acabar”, desabafa.

Caixa reduz para 50% limite no financiamento de imóvel usado

A partir desta segunda-feira (25), os mutuários terão mais dificuldade em financiar a compra de imóveis usados. A Caixa Econômica Federal reduziu para 50% do valor do imóvel o limite máximo de financiamento. Atualmente, os clientes poderiam financiar até 60% ou 70% do montante dependendo do tipo de linha de crédito contratada.

A redução vale para todas as modalidades, como Minha Casa Minha Vida, empréstimos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (que usa recursos da poupança).

Em nota divulgada na noite dessa sexta-feira (22), o banco informou que o novo limite vigorará para as futuras operações de crédito. As propostas em análise entregues até esta semana continuarão a operar sob os limites antigos, caso o empréstimo seja liberado.Mais >

Desemprego pode atingir Construção Civil: Caixa não tem dinheiro para construtores

A Caixa Econômica Federal não tem dinheiro para pagar aos construtores, especialmente os que lidam com contratos da linha de baixa renda, como “Minha Casa Minha Vida”. 

Em Caicó a situação é real e na iminência de colocar centenas de operários no olho da rua por falta de dinheiro no segmento da construção civil. Pode ser pior que os das facções.

“A Caixa Econômica não tem dinheiro para pagar os financiamentos bancários de imóveis. Faz mais de 30 dias que não se paga um imóvel pelo Minha Casa Minha Vida”, diz construtor.Mais >

Começa neste sábado saque do último lote das contas inativas do FGTS

A Caixa Econômica Federal inicia neste sábado (8) o pagamento das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para os trabalhadores nascidos em dezembro.

Tem direito a fazer os saques das contas inativas o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015. O trabalhador não pode sacar o FGTS de uma conta ativa, ou seja, que ainda receba depósitos do empregador atual.

Mais de 2,5 milhões de brasileiros têm direito ao saque no último lote. O valor total disponível ultrapassa R$ 3,5 bilhões e equivale a aproximadamente 8% do total. Para atender aos trabalhadores que querem fazer o saque das contas inativas, mais de 2 mil agências da Caixa abrirão neste sábado entre 9h e 15h – clique aqui para ver a lista de agências.Mais >

Quadrilha com oito veículos invadiu cidade no interior do RN e destruiu duas agências

Madrugada de hoje, 01 de junho, o terror do novo cangaço tomou conta da cidade de São Miguel, no interior do Rio Grande do Norte. Dando nova cara ao crime contra bancos, os bandidos sitiaram a cidade e fizeram reféns, na posse de explosivos, arrombaram a agência do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal.

Fortemente armado, o bando usou 08 veículos na ação, sendo que três destes foram dispensados quando o bando deixou a cidade. De acordo com o comandante do DPM de Patu, Capitão Aderlan, os homens não conseguiram levar o que queriam, dinheiro em espécie, contudo, segundo o oficial, o estrago foi grande.Mais >

Bandidos promovem tiroteio e levam malotes em posto da Caixa em Natal

1efaf9c1-939d-4c86-b160-5514c78014e3

Informações extra-oficiais dão conta de um roubo de malotes nessa manhã, 11. Quatro bandidos, que seguiram sentido Rocas, Praia do Meio. O posto da Caixa fica em frente ao Nordestão do centro, em Natal.

Caixa vai abrir com ‘2hs’ de antecedência em três dias para saques do FGTS inativo

A Caixa Econômica Federal vai abrir nesta sexta-feira (10), na segunda (13) e na terça-feira (14) com duas horas de antecedência para atender quem for às agências para sacar o dinheiro das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), para obter informações sobre saldo ou acertar o cadastro.

A informação foi divulgada pelo diretor executivo do FGTS da Caixa, Valter Nunes, durante um chat ao vivo no Facebook do banco nesta quarta-feira (8). Segundo ele, trata-se de “uma estratégia de contingência” que pode ser ampliada em caso de necessidade.Mais >

Caixa “assedia” quem vai receber dinheiro do FGTS e oferece abertura de contas

Em uma estratégia para tentar ganhar espaço sobre os bancos privados, a Caixa Econômica Federal foca em mais de um milhão de pessoas com direito de sacar altas quantias de contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A ofensiva da instituição prevê entrar em contato com trabalhadores que têm valores altos a receber, de R$ 20 mil a R$ 1 milhão, além de oferecer a abertura de conta para todos que ainda não são correntistas.Mais >

Caixa Econômica é condenada por prática de assédio moral

000aa0a

Natal (RN), 17/02/2017 – A Caixa Econômica Federal foi condenada pela Primeira Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região, por unanimidade, ao pagamento de indenização no valor de R$ 50 mil a empregada submetida a assédio moral.

Uma série de atos discriminatórios e abusivos, praticados pelo chefe imediato, por quase um ano, levaram à destituição da empregada da função de confiança exercida há uma década, além de desestabilização emocional e grave adoecimento.

A decisão do TRT levou em consideração o conjunto dos atos que culminaram na dispensa da função de confiança. Observou-se que o gerente ao qual a empregada estava subordinada agia, na prática do assédio, com sofisticação e excessivo cuidado nos meios utilizados para prejudicá-la, de forma a não deixar registros e documentos, e longe da presença de testemunhas.Mais >

PDV: Começa prazo de adesão a plano de demissão voluntária da Caixa

Começou ontem (7) e vai até 20 de fevereiro o prazo para funcionários da Caixa Econômica Federal aderirem ao programa de demissão voluntária (PDV) do banco. O limite máximo de desligamento estabelecido para o programa é 10 mil empregados. Caso esse número seja atingido, a instituição espera economizar R$ 1,8 bilhão por ano a partir de 2018.Mais >