Em dez anos, ‘MP da Liberdade Econômica’ vai gerar 3,7 cerca de milhões de empregos

A aprovação da Medida Provisória (MP) da Liberdade Econômica vai gerar 3,7 milhões de empregos em 10 anos. A afirmação é do secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel, que participou na manhã desta quarta-feira (14) de reunião com dirigentes empresariais e o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar da medida.

Ele citou estudo da Secretaria de Política Econômica que estima a geração de empregos e crescimento adicional de 7% do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, em 10 anos. “É um crescimento muito expressivo. Este ano, poderia dobrar o PIB, se tivesse sido introduzido neste ano. É um impacto muito forte, facilita a abertura e o fechamento de empresas, facilita iniciar atividades em estabelecimentos de baixo risco que não dependem mais de alvará, de licença, isso significa 3 a 6 meses de espera que não vai ter mais”.

Mais >

Cartão Reforma vai aquecer comércio de materiais de construção, afirma Temer

Lançado pelo governo federal nesta quarta-feira (9), o Cartão Reforma vai aquecer o comércio de materiais de construção e gerar empregos, afirmou o presidente Michel Temer no lançamento do programa, no Palácio do Planalto. Criado para atender brasileiros de baixa renda que necessitam reformar suas casas, o programa terá início em 2017 com orçamento de R$ 500 milhões.

“Quando fazemos isso estamos (…) não só prestigiando aqueles que fazem os materiais de construção, como também o emprego, que é outra tônica do nosso governo. Não há outra fórmula de gerar emprego se não incentivar a iniciativa privada”, disse o presidente na cerimônia.Mais >

Número de cargos de confiança aumentou nos meses de governo interino de Temer

O presidente Michel Temer ainda não cumpriu a promessa de reduzir os cargos no governo federal. Segundo dados do Portal da Transparência, o número total de cargos de confiança e funções gratificadas aumentou nos meses de governo interino, passando de 107.121, em maio, para 108.514 em 31 de agosto, dia em que o impeachment foi finalizado e data da última atualização do banco de dados público.Mais >

Rombo nas contas já chega a R$ 169 bi


Faltando menos de cinco meses para o fim do ano, as contas do governo já estão no limite. Na quarta-feira, 11, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que a programação orçamentária do governo para este ano já atingiu um saldo negativo de R$ 169 bilhões, dos R$ 170,5 bilhões previstos na meta fiscal deficitária de 2016.

“Os limites orçamentários do governo federal estão próximos de estourar e ainda temos cinco meses pela frente até o fim do ano” disse Padilha, ao responder a uma pergunta sobre a disposição do governo em socorrer os Estados do Nordeste. Ele participava de evento ao lado do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.Mais >

Adese recebeu mais de R$ 360 mil de repasse do governo federal

A Agência de Desenvolvimento do Seridó (Adese), atualmente coordenada por dom Antônio Carlos Cruz Santos, recebeu do governo federal um repasse de R$ 361.866,65.

O valor será destinado a atividades do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piancó-Piranhas-Açu.

As atividades incluem organização interna, planejamento das atividades do comitê, comunicação e mobilização social, capacitação para a gestão, logística de reuniões.

Temer diz que orçamento com déficit mostra que não há maquiagem nas contas

O vice presidente Michel Temer, informou nesta segunda-feira(31), que às notícias de que o executivo entregará o projeto de lei orçamentário de 2016 com à previsão de déficit, mostram transparência absoluta do governo, e que não há maquiagem nas contas.

Segundo Temer, o governo abandonou a idéia do retorno da CPMF ( Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), por achar que  é preciso preparar o ambiente, ou terá derrota no Congresso.

Presidente Dilma Rousseff anuncia a abertura de 3 mil novas bolsas de residência médica

A presidente Dilma Rousseff  anunciou nesta terça-feira(04) a criação de 3 mil vagas de residência médica, sendo a maioria oferecida a estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Deste total, 75% das bolsas serão destinadas à formação de especialistas em medicina geral de família e de comunidade.

O anúncio foi feito durante cerimônia de comemoração de dois anos do Programa Mais Médicos, no Palácio do Planalto. As bolsas serão financiadas pelos ministérios da Saúde e da Educação.