Ipem/RN divulga resultado de operação inédita em postos de combustíveis do Estado


De 8 a 11 de maio, o Instituto de Pesos e Medidas do Rio Grande do Norte (Ipem/RN) realizou uma operação inédita para identificação de fraudes em bombas medidoras de combustíveis no Estado. O número elevado e recorrente de denúncias à Ouvidoria do órgão foi uma das razões que motivou a operação.

As fiscalizações foram realizadas em parceria com o Ipem de São Paulo, Paraíba, Paraná e Santa Catarina, Polícia Civil do RN, Delegacia do Consumidor (Decon) e Coordenadoria de Proteção e Defesa do Consumidor do Rio Grande do Norte (Procon/RN).

Cerca de 100 profissionais participaram da operação em oito municípios do Estado, foram eles: Natal, Parnamirim, Ceará-Mirim, São José de Mipibu, Santa Cruz, Mossoró, Currais Novos e Caicó. As principais irregularidades encontradas em 31 dos 57 postos fiscalizados foram lacres violados ou ausentes, erros de vazão, mangueiras danificadas, vazamentos e fiações expostas.Mais >

Postos de Caicó bem avaliados pelo IPEM


A fiscalização feita pelo Instituto de Pesos e Medidas do Rio Grande do Norte (IPEM) nesta quinta feira (10) em Caicó serviu para mostrar que o consumidor que utiliza os postos de combustíveis de Caicó não foi lesado nos últimos 90 dias, período da última fiscalização.

O órgão apontou que os postos de combustíveis fiscalizados em Caicó têm problemas bem pequenos para serem sanados, o que não compromete em nada a funcionalidade de quaisquer estabelecimento. Dos 05 postos fiscalizados, 04 apresentaram pequenas avarias técnicas.

O Posto Santana, por exemplo, localizado no bairro Boa Passagem, teve uma bomba desativada até que se faça a troca de um pequeno fio elétrico que estava em desacordo com normativas da ABNT, e que ontem mesmo recebeu autorização do INMETRO para sua reposição.

O blog Jair Sampaio conversou com três empresários desse segmento em Caicó, e o que se percebe, do ponto de vista econômico, é que estes postos de combustíveis estão muito bem avaliados pelo órgão potiguar (IPEM), e isso reflete na otimização dos serviços prestados à sociedade.Mais >

Cade investiga suposto cartel em postos de gasolina do RN


O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) decidiu pela condenação de postos de gasolina e outras empresas e organizações em 12 dos 17 casos que julgou de práticas ilícitas no mercado de combustíveis desde 2012. Os outros cinco casos foram arquivados. Na maioria, houve prática de cartel, ou seja, acordo ilegal entre empresas concorrentes para fixação de preços.
A maior multa foi aplicada em 2015, R$ 67.266.967,82 a postos de gasolina no Espírito Santo, em processo que corria desde 2006.
A decisão mais recente, de 2017, foi pela condenação do Sindicato dos Revendedores de Combustível do Estado do Maranhão e de postos de gasolina do estado por cartel e conduta comercial uniforme no mercado de revenda de combustíveis. A multa definida foi de R$ 18.681.956,64. Mais >