Queijo artesanal de Cruzeta é premiado com medalha de prata no 15º Enel


Os 15 anos de trabalho de Maria Roseane Soares na produção de queijo artesanal em Cruzeta foram reconhecidos nessa quarta-feira (7) durante o Encontro Nordestino de Leite e Derivados (Enel). A queijeira Original Sertão foi premiada com a medalha de prata na categoria Queijo de Coalho Artesanal no Concurso de Queijos Regionais promovido durante o encontro no Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim.

Roseane e o esposo e sócio, Marcelo, foram reconhecidos entre mais de 130 queijeiros artesanais participantes do Rio Grande do Norte, Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Bahia. “É uma alegria muito grande para nós e um reconhecimento ao nosso trabalho. Há anos lutamos para manter a tradição da queijeira familiar e fazer o negócio crescer”, diz a produtora. O casal faz parte do grupo de 39 queijeiros que estão sendo beneficiados com recursos do Governo do Estado.

Por meio do Edital de Leite e Derivados lançado ano passado pelo projeto Governo Cidadão, eles foram selecionados e terão a queijeira construída e equipada com recursos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial. Serão investidos R$ 505.445,39 para construir o prédio, equipá-lo e certificá-lo junto aos órgãos de fiscalização. “Estamos ainda mais perto de realizar nosso sonho. São mais de 15 anos no mercado e nunca tivemos oportunidade de nos legalizar e vender para grandes supermercados. Agora temos fé que vai dar certo”, projeta.

Mais >

Com apoio do Governo, produtor de queijo no Seridó participa de competição na França


Lucenildo Firmino, 40 anos de idade, produtor de queijo artesanal de coalho e de manteiga em Tenente Laurentino Cruz, município da região Seridó, distante 254 quilômetros de Natal, vai expor os produtos que fabrica na Queijeira Serra de Santana na 4ª edição da Mondial Du Fromage – Et Des Produits Laitiers, na cidade de Tours, na França, no período de 02 a 04 de junho próximo.

“Galego”, como Firmino é mais conhecido, tem apoio do Governo do Estado para participar do evento internacional e integra um grupo de 39 produtores artesanais que estão sendo beneficiados com financiamento para construção das instalações físicas e equipamentos para aperfeiçoar a produção.

A governadora Fátima Bezerra recebeu o produtor em seu gabinete nesta quinta-feira e o parabenizou enfatizou o apoio do governo ao setor do queijo. “Nós estamos executando um grande projeto que vai beneficiar, valorizar e dar mais qualidade ao nosso queijo. O Seridó tem uma cultura de 300 anos na produção de queijos, mas agora estamos fazendo mais, criando as condições para a certificação, dando segurança sanitária, organizando a cadeia produtiva. Tudo isso terá enorme impacto econômico e social, valorizando os produtos e os produtores e ainda os consumidores que terão alimentos de qualidade assegurada. Todos ganham”, disse a chefe do Executivo estadual.

O projeto de valorização do queijo artesanal do Seridó integra o programa Governo Cidadão, do Governo do Estado, que é financiado com recursos do empréstimo ao Banco Mundial. Estão sendo investidos R$ 23 milhões em 39 queijeiras cadastradas.Mais >

Lei do Queijo Artesanal do RN é destaque no jornal “O Estado de São Paulo”


As queijarias tradicionais representam um importante papel no desenvolvimento econômico do Rio Grande do Norte. Somente na região do Seridó são mais de 300 unidades de processamento de leite, que serão beneficiadas com a Lei Nivardo Mello, de autoria do deputado estadual Hermano Morais, e que trata da produção e comercialização de queijos artesanais no Rio Grande do Norte. A lei homenageia um dos maiores fabricantes de queijos artesanais de Caicó e fundador da fazenda Beleza.
A Lei Nivardo Mello foi destaque nacional, na coluna Paladar do jornal O Estado de São Paulo. 

Alegando denúncia, IDIARN apreende mais de “1 tonelada” de queijo produzido em Caicó e região

Fonte/Fotos: Blog Jair Sampaio – No final da manhã dessa quinta feira 10, técnicos do IDIARN (Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN) estiveram em Caicó para cumprir fiscalização em um estabelecimento comercial da cidade que revende produtos oriundos da produção bovina, como queijo de manteiga e queijo de coalho.

No local os fiscais encontraram quase meio tonelada de queijo estragado, porém o agropecuarista responsável pela revenda do produto garante que a avaria fica em compartimento (freezer) separado para que haja a devida troca com o produtor que fez a venda daquele produto, onde seria embalado e vendido em Natal.

Hipoteticamente o prejuízo pode ultrapassar os 20 mi reais, já que além da apreensão, o IDIARN deverá aplicar multa no estabelecimento, segundo os técnicos, por má conservação e transporte inadequado dos produtos. A apreensão caiu como um tsunami para os produtores rurais de Caicó e região, que revendem seus produtos para Natal.

Ainda de acordo com os ficais do órgão fiscalizador, etiquetas de produtores do estado do Pernambuco eram fixados ao queixo de Caicó e revendido na capital como se fosse de outro estado, além de etiquetas do Pernambuco o IDIARN encontrou logos de produtores rurais de Jucurutu e outras cidades da região do Seridó.

Sem restringir ou dificultar o trabalho do IDIARN, o proprietário do estabelecimento se explicou… “Além de produtor, sou um dos maiores revendedores de queijo do Seridó na capital do estado, é inviável eu criar uma etiqueta para um produto que eu não o produzi, a forma mais justa é esta, colocar a etiqueta com a origem e dados técnicos do verdadeiro produtor”. Justifica.