Especialistas discordam das medidas de Temer para solucionar a crise carcerária


398659_139617599527869_1740376442_n

Uma renúncia coletiva de sete dos 18 membros do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária nesta quarta-feira escancarou a insatisfação de parte dos especialistas brasileiros com as decisões tomadas pelo Ministério da Justiça do Governo Michel Temer (PMDB) no tema segurança pública.

Em uma carta, os conselheiros demissionários alegaram que não foram ouvidos pelo ministro Alexandre de Moraes para a confecção do Plano Nacional de Segurança Pública e que o chefe dessa pasta tem adotado a “velha política criminal leiga, ineficaz e marcada por ares populistas”, quando defende o maior número de armamentos e ao invés de incentivar pesquisas.Mais >