Michel Temer visita Lula em SP e é vaiado; Marisa Letícia não tem atividade cerebal

18

Médicos responsáveis por atender a ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva informaram nesta quinta-feira que ela não apresenta mais atividade cerebral. Marisa, de 66 anos, está internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, desde 24 de janeiro, quando foi vítima de um acidente vascular cerebral (AVC). O quadro de Marisa indica morte cerebral.

Chamados de “golpistas” e “assassinos” por militantes petistas na entrada do Hospital Sírio Libanês, Michel Temer e sua comitiva foram recebidos por Lula na noite desta quinta-feira com rara cordialidade. O líder máximo do PT agradeceu comovido à solidariedade recebida após a confirmação da morte de sua mulher, Marisa Letícia. Em meio à tristeza, encontrou disposição para fazer de política.

Lula distribuiu conselhos a Temer: “Não se faz reforma da Previdência com o país em recessão”. Queixou-se do Supremo Tribunal Federal: “Está acovardado”. Abriu uma fresta para o diálogo: “Michel, quando quiser conversar comigo, me chame. Não posso é ficar me oferecendo.” E Temer: “Ah, com essa abertura, vou chamar muitas vezes.”

Temer estava acompanhado de José Sarney (PMDB), ex-presidente da República; Henrique Meirelles, ministro da Fazenda; José Serra (PSDB), ministro de Relações Exteriores; Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil; Eunício Oliveira (PMDB), novo presidente do Senado; Helder Barbalho (PMDB), ministro da Integração Nacional, e dos senadores Renan Calheiros (PMDB), Eduardo Braga (PMDB), Edison Lobão (PMDB) e Cassio Cunha Lima (PB).

A assessoria da Presidência informou que às 23h20 a comitiva já havia deixado o hospital. O deputado federal Andrés Sanchez (PT) e o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), chegaram ao hospital logo após a comitiva de Temer. O vereador Eduardo Suplicy (PT) também esteve no local nesta noite.

Escreva sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado.