“A UERN passa 1 ano parada em cada 4 anos, e nós bestas contribuintes pagando por isso”

Por Renato Dantas

Não existe emprego público melhor que ser servidos ou professor da UERN. Eles trabalham trabalham 4 anos e ficam um parado recebendo seus salários e depois ainda recebem um aumento salarial.  Em 2011 eles passaram 106 dias em greve, e agora em 2015 já estão parados 140 dias recebendo em dia seus salários, ou seja 246 dias.

Levando em consideração que um ano tem 240 dias uteis, sem contar com os feriados e as férias, os professores e servidores da UERN só trabalham 4 em 5 anos, 1 ano eles ficam parados em greve e depois ainda recebem um aumento nos seus vencimentos.

Isto é um escárnio com nós contribuintes que pagamos para o Estado, em situação de insolvência, financiar o ensino superior que é uma atribuição do Governo Federal.

Nós, contribuintes potiguares, Estamos pagando para pessoas de outros Estados obterem cursos superior quando o nosso RN não tem recursos para abastecer hospitais públicos, e sem grana para recrutar 7 mil policiais e incorporar as nossas forças de segurança para suprir o deficit nas policias militar, civil e bombeiros, e oferecer ensino básico e médio de qualidade nas escolas da rede estadual.

Um contribuinte potiguar paga para financiar ensino superior para filhos de outros Estado enquanto seu filho estuda numa escola pública do RN sem qualidade de ensino.

O governador, Robinson Faria tem o dever de acabar com isso, ele também deve satisfação a sociedade potiguar que é quem paga por esta UERN. A média salarial da UERN é de R$ 17 mil, tem gente ganhando acima dos R$ 30 mil, e quando se aposentam, nós sofridos contribuintes continuamos pagando. Se Robinson não tomar uma providencia, poderá ser acusado de prevaricar diante dessa situação. Isso tem que ter um basta!!

Sabendo que a UERN custa R$ 300 milhões por ano, foi exatamente o que nós contribuintes gastamos para a turma da UERN ficar em casa, dinheiro que daria para recuperar todas nossas escolas da rede estadual.

Vale lembrar que estudos feitos mostram que a anuidade de um aluno da UERN é mais caro do que em qualquer universidade ou faculdade privada no RN, ou seja, seria mais barato para o Estado pagar bolsas para os alunos oriundos de escolas publicas do RN.

Os  Bispos dom Jaime Vieira da Rocha, e com o bispo dom Mariano Manzana, manifestaram irresponsavelmente  apoio ao movimento grevistas,  eles não sabem que a UERN custa R$ 300 milhões ano ao nosso combalido RN. É muito fácil para os bispos atirarem com a munição alheia. Seria bom que a igreja dos bispos incorporasse a UERN e transformasse numa Universidade Católica para desonerar nosso Estado dessa pesada despesa.

O que o governador, com a classe política,  tem que fazer com os bispos e a sociedade como um todo, é somar esforços  para federalizar esta universidade que funciona 4 anos e fica 1 pagando seus professores e servidores sem fazerem nada.

Espero que os bispos sejam mais responsáveis antes de opinarem sobre este assunto, e querendo podem me descomungar.

Continuarei sendo devoto de Nossa Senhora de Fátima com a mesma fé.

A narrativa vem do ex-vereador natalense, Renato Dantas (Blog do Primo)

3 Comentários

HEWERTON FERNANDES

out 10, 2015, 11:53 am Responder

O RN É UM ESTADO RIQUÍSSIMO!!!!!!!

maria de lourdes lopes

out 10, 2015, 4:56 pm Responder

É lamentável que um vereador faça esse tipo de comentário. O ideal seria que ele se unisse aos professores e lutasse por melhores salários, melhores condições de trabalho e por uma educação de qualidade, que com certeza, todos merecem. Maria de Lourdes Lopes, professora do Estado de São Paulo

Estudante

out 10, 2015, 5:53 pm Responder

A UERN não tem ponto eletrônico, não seria certo esta instituição ter já que os profissionais cobram muito mas não fazem quase nada? Tem professor da UERN que só vem um dia por semana, sendo 40 horas na semana, isso é um absurdo!!! Ganhando muito e fazendo nós contribuintes de bestas! Meu filho está no inicio de um curso desta instituição em caicó, e ele já percebeu isso.

Deixe uma resposta para maria de lourdes lopes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.