Após casos confirmados de Covid-19, STF procura convidados da posse de Fux

Foto: Igo Estrela/Metrópoles

O Supremo Tribunal Federal (STF) se manifestou, nesta quinta-feira (17/9), após ao menos quatro autoridades comunicarem que testaram positivo para o novo coronavírus depois de participar da cerimônia de posse do novo presidente da Corte, ministro Luiz Fux. “A Presidência presta solidariedade e votos de recuperação”, diz a nota.

Segundo a assessoria do STF, o setor de cerimonial da Casa entrou em contato com todos os convidados da solenidade para “alertá-los sobre a importância de buscarem serviço médico, caso tenham se exposto em outros eventos fora do Supremo”.

“O Tribunal destaca que todas as medidas de segurança, protocolos e procedimentos recomendados pelo Ministério da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde foram adotados rigorosamente para a realização da solenidade de posse da nova gestão”, diz outro trecho da nota.

A assessoria ainda informou que a Corte estuda novos procedimentos para tornar mais segura a presença de servidores e visitantes do STF.

Contaminação

O presidente do STF, Luiz Fux, informou que testou positivo para o coronavírus quatro dias após a cerimônia de posse. Na ocasião, ele disse que contraiu a doença em um almoço de família, no sábado (12/9), dois dias depois do evento.

Apesar disso, quatro autoridades que estiveram presencialmente na posse de Fux também foram infectados pelo vírus. Foram eles: o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ); a presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Maria Cristina Peduzzi; e dois ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Luís Felipe Salomão e Antonio Saldanha Palheiro.

“Vale lembrar que somente 20 por cento dos assentos do plenário da Corte foram ocupados. Houve obrigatoriedade do uso de máscaras; todos os presentes foram submetidos à medição de temperatura corporal; dezenas de totens com álcool-gel foram alocados em pontos estratégicos do Tribunal; além de outras providências, como plantão médico e UTI móvel, foram tomadas”, diz a nota do STF.

Escreva sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado.