Bolsonaro diz que pode indicar Aras para o STF “se aparecer uma terceira vaga

Foto: Reprodução/O Globo

Durante a live desta quinta-feira, 28, o presidente Bolsonaro disse que pode indicar o atual PGR Augusto Aras para ocupar a cadeira de ministro do STF se uma terceira vaga aparecer.

Bolsonaro deixa claro que já tem nomes em mente para as duas vagas que vão abrir durante o seu mandato: “um será evangélico”, ao falar de seu comprimisso com a bancada evangélica.

“Tem uma vaga prevista para novembro, outra para o ano que vem. O senhor Augusto Aras, nessas duas vagas, deixo bem claro, não está previsto o nome dele. Eu costumo dizer que tenho três nomes – que não vou revelar – que eu namoro para indicar para o Supremo Tribunal Federal. Um vai ser evangélico, é um compromisso que eu tenho com a bancada evangélica.”

Vagas

As vagas referidas por Bolsonaro atualmente são ocupadas pelo ministro Celso de Mello e Marco Aurélio. A aposentadoria obrigatória alcançará Celso de Mello (1/11), que desde agosto de 1989 tem cadeira na Corte Suprema. No ano seguinte, em 2021, mais uma vaga será aberta no Supremo, com a saída do ministro Marco Aurélio Mello, que completa 75 primaveras em julho.

Ministro evangélico

Ao fazer referência à necessidade de indicação de um ministro evangélico, o presidente citou alguns julgamentos que, a seu ver, faltaram posicionamentos conservadores.

Bolsonaro falou sobre os julgamentos que fixaram a inconstitucionalidade de leis municipais que proíbem a discussão de ideologia de gênero nas escolas e a tipificação da homofobia como racismo. “Uma pessoa com forte formação critã seria bem-vinda nestas questões”, disse.

MIGALHAS

1 Comentário

GIl Braz Silva Romero

maio 5, 2020, 2:51 pm Responder

As vagas para o Supremo Tribunal Federal deveriam ser ocupadas por meio de concurso público, pois só entraria os capacitados, e todas vagas de quaisquer órgãos públicos só assim acabaria com a politicagem. Os cargos de todos políticos deveriam ser também por meio de concurso público, em fim todo cargo publico. Para ser assim todas escolas teriam que ser públicas, pois todos tinham a mesma oportunidade. A medicina toda pública, isto é todos empregos existentes seriam públicos. Conclusão: Todos nós tínhamos oportunidades iguais. Acabaria numa vez todas politicagens, reinaria a liberdade e a igualdade. Primeiro DEUS e depois essa maior glória aqui na terra.

Deixe uma resposta para GIl Braz Silva Romero Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.