Caças suecos: a nova dor de cabeça para Lula na Justiça. Entenda o caso

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que começa nesta segunda-feira (23) uma caravana pelo estado de Minas Gerais, tem um novo encontro marcado com a Justiça na próxima semana. O petista vai ser interrogado na segunda-feira (30) pelo juiz federal Vallisney Oliveira, em Brasília, em um dos processos da Operação Zelotes.

Neste processo, Lula é suspeito de influenciar na compra, pelo governo brasileiro, de 36 caças da empresa sueca Saab e na prorrogação de incentivos fiscais à montadoras de veículos. O ex-presidente é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de tráfico de influência, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Os crimes teriam ocorrido entre 2013 e 2015.

O filho de Lula, Luís Cláudio Lula da Silva, também é réu no processo e será interrogado no mesmo dia. Segundo o MPF, lobistas teriam repassado R$ 2,5 milhões a Luís Cláudio para que Lula fizesse lobby na compra dos caças.

Os interrogatórios estão previstos para às 14h30 da segunda-feira, data em que o petista pretende encerrar sua caravana por Minas Gerais em um evento na capital, Belo Horizonte. Segundo informações da Folha de S. Paulo, a defesa de Lula tenta adiar o interrogatório para que o ex-presidente possa terminar a caravana antes de depor à Justiça. 

Lula já foi interrogado na Justiça Federal de Brasília no processo que investiga a suposta compra de silêncio do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró. O MPF pediu a absolvição de Lula nesse caso por falta de provas de seu envolvimento nos crimes denunciados.

Além do processo dos caças, Lula responde a mais dois processos na Justiça Federal de Brasília. Um dos processos também acusa o ex-presidente de tráfico de influência: Lula teria atuado para liberar verba do BNDES em obra da Odebrecht em Angola. O segundo, referente à Zelotes, acusa Lula de ter recebido recursos ilegais em 2009, quando ainda ocupava a Presidência da República.

Leia Mais…

Escreva sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado.