“Desejável era manter essas medidas restritivas por mais alguns dias”, diz Fátima Bezerra ao afrouxar decreto

A governadora Fátima Bezerra (PT) explicou, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (1º), as ações que serão tomadas no novo decreto com ações para conter a pandemia de covid-19 no Rio Grande do Norte. De acordo com a chefe do Executivo estadual, a melhor alternativa seria manter as medidas mais restritivas, que estão em vigor no atual decreto que vale até o domingo (4), por mais tempo.

“O desejável era nós mantermos essas medidas restritivas por mais alguns dia, como sugeriu o comitê científico, e como defendem os Ministérios Públicos no estado. Mas é preciso ver a realidade, que é olhar a vida como ela é, que é viver em um país com mais de 14 milhões de desempregados, que é viver em um país onde o governo federal não cumpre seu papel”, afirmou.

Segundo a governadora, o toque de recolher volta a valer em todo o estado das 20h até as 6h do dia seguinte de segunda-feira a sábado e em tempo integral no domingo, como já havia sido determinado. O novo decreto permite o funcionamento do comércio, mas sob rígido controle sanitário, com limite de 50% da capacidade do espaço do estabelecimento ou ao limite máximo de uma pessoa por cada 5m², o que for menor. O horário será alternado, conforme proposta dos empresários.

Para as escolas, as aulas presenciais podem acontecer para os alunos até o 5º ano do Ensino Fundamental, de acordo com a escolha dos gestores escolares e pais ou responsáveis. A partir do 6º ano, as aulas devem ser remotas. O decreto também flexibiliza o funcionamento de igrejas, que podem receber celebrações com ocupação até 20%. Já as academias podem funcionar com até 50%. Em ambos os casos, das 6h às 20h.

“Resolvemos fazer as mudanças no decreto levando em consideração o apelo das prefeituras para o contexto social e econômico”, pontuou a governadora.

Escreva sua opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado.