Facisa promove sustentabilidade ambiental em escolas pública de Santa Cruz

Estudantes de escolas públicas de Santa Cruz, município do agreste potiguar, estão ampliando seus conhecimentos sobre sustentabilidade e educação ambiental com a ajuda da Faculdade de Ciências de Saúde do Trairi (Facisa) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

De acordo com o coordenador das atividades e professor do curso de Enfermagem da Facisa, José Jailson de Almeida Júnior, Santa Cruz tem um forte problema ambiental. “Na última década, a cidade teve um crescimento grande que gerou um impacto ambiental significativo”, explica. Segundo o professor, as áreas mais afetadas são as do entorno do município, que estão expandido sem um planejamento adequado. “Esse crescimento sem planejamento traz uma série de impactos, como o desmatamento”, avalia.

Entre as questões ambientais mais críticas em Santa Cruz, o professor cita o lixão da cidade, um aterro não controlado que ocasiona uma série de transtornos para os moradores do Bairro do Paraíso; um matadouro situado às margens do Rio Trairi que despeja dejetos de matéria orgânica no rio; e a baixa arborização da cidade, que junto com a crescente pavimentação tem aumentado a temperatura do município.

Para combater esses impactos, Jailson de Almeida vem desenvolvendo projetos ligados ao tema ambiental desde que iniciou suas atividades na Facisa, em 2009. No último semestre, uma das ações elaboradas pelo professor e por sua equipe foi direcionada a alunos da Escola Estadual Professora Rita Nelly Furtado, localizada no Conjunto Cônego Monte. 

Atividade

A ação fez parte da disciplina Saúde e Cidadania (Saci), que busca atuar junto às comunidades tratando de problemas que afetem a saúde e o meio sociocultural das pessoas. 

Durante todo o semestre, alunos dos cursos de Nutrição, Psicologia, Enfermagem e Fisioterapia realizaram visitas a moradores do Conjunto Cônego Monte para avaliar as necessidades do bairro. “Os encontros fazem parte da formação e servem para conhecer a comunidade e a escola, interagir com as pessoas, definir temas e construir as ações”, explica Jailson de Almeida.

O trabalho gerou uma manhã de atividades para os alunos do 5º ano da Escola Estadual Professora Rita Nelly Furtado. Os estudantes da Facisa trabalharam os temas sustentabilidade e educação ambiental de forma lúdica, com teatro, oficina de brinquedos com recicláveis, contação de histórias e gincana.

Para a professora do ensino fundamental Glênia Pontes, as atividades promovidas pela Facisa ajudam a formação e a conscientização dos alunos. “As crianças passam a ter mais cuidado com o lugar onde vivem,  tornam-se defensoras do meio ambiente e multiplicadoras de boas ações dentro de suas casas e da comunidade”, acredita. 

Exemplo comprovado pelos planos da estudante Francine Dantas, de 10 anos, que participou das oficinas promovidas pela Facisa. “Aprendi a fazer vários brinquedos com material reciclado e vou ensinar meu irmão. Vamos reciclar e brincar”, conta a aluna do 5º ano.

Para a estudante do 3º período de Nutrição da Facisa e uma das organizadoras das oficinas, Dayanne Monike Dantas, a participação ativa das crianças demonstra o interesse pela temática. “As crianças estavam concentradas e participativas. O meio ambiente é um tema que interessa a todos”, analisa.

O coordenador Jailson de Almeida ressalta que a Facisa vai continuar trabalhando a temática ambiental em Santa Cruz, com ênfase na conscientização e na mudança de hábitos. “A educação ambiental deve induzir transformação das pessoas em prol da qualidade de vida, respeitando o meio ambiente”, destaca.

Escreva sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado.