Famuse destaca qualidade do artesanato da região Seridó

Uma das principais atividades econômicas da região do Seridó, o artesanato tem na Famuse uma de suas vitrines mais tradicionais. A Feira de Artesanato dos Municípios do Seridó, que é realizada durante a Festa de Sant´Ana, chega a sua 34ª edição com o desafio de superar metas e impulsionar a cadeia produtiva do artesanato. A abertura do evento ocorreu nesta quarta-feira (26), no Complexo Turístico Ilha de Sant´Ana.

De acordo com João Hélio Cavalcanti, diretor técnico do Sebrae-RN, esta edição iniciou com um grande número de pessoas participando ativamente da feira. Ele avalia que houve uma evolução na qualidade do produto e uma diversidade nas tipologias apresentadas pelos artesãos.

“O Seridó tem esse diferencial importante que influencia todo o estado e todo o país. Para o Sebrae é um prazer poder contribuir com o desenvolvimento econômico dessa atividade econômica que gera emprego e renda para muitas pessoas”, ressaltou.

Arlete Silva, que é presidente do Cracas – Comitê Regional das Associações e Cooperativas do Artesanato Seridoense, destacou o desafio que é realizar a Famuse a cada ano, principalmente diante da crise econômica que assola todo o país.

Otimista, ela aponta que é na crise que surgem as oportunidades, ao ressaltar que a feira é fundamental para todo o segmento ao dar visibilidade a quem está produzindo diariamente e tem essa atividade como sua principal fonte de renda. Segundo ela, a Famuse acontece em um momento importante ao renovar o ânimo dos artesãos e estimular o surgimento de novo negócios.

O prefeito de Caicó Robson Araújo “Batata” declarou que o Município enxerga o artesanato como uma atividade econômica que deve ser valorizada através de políticas públicas de desenvolvimento, destacando que a prefeitura desenvolve o projeto “Caicó Mostra Caicó” que dá oportunidade aos artesãos de mostrar o seu trabalho e está presente na Famuse através de um stand, demonstrando toda a pujança do artesanato local.

A cerimônia de abertura da Feira de Artesanato dos Municípios do Seridó contou com a presença do Sebrae, Sesc, Governo do Estado, além dos prefeitos de Caicó, São Fernando, Serra Negra, Timbaúba dos Batistas, vereadores, secretários, além da senadora Fátima Bezerra e artesãos de toda a região Seridó.

Origem portuguesa 

Com o tema “Da ilha da Madeira ao Arraial do Queiquó, eis o bordado do Seridó”, o stand do Sebrae retratou a história dessa atividade que tem ligação direta com a Ilha da Madeira, em Portugal. “Há também uma homenagem às personalidades que, de forma empreendedora, focaram no mercado e levaram o bordado do Seridó para outras regiões”, afirmou Pedro Medeiros, gerente do escritório regional do Sebrae ocidental, em Caicó.

Durante a Famuse, o Sebrae lançou um documentário explicando todo o processo produtivo do bordado seridoense. Narrado pela artesã e pesquisadora Iracema Nogueira, o vídeo é o desdobramento de uma pesquisa feita sobre essa atividade econômica. “Esse vídeo é uma oportunidade que os artesãos têm para mostrar que todo o processo de produção do bordado é uma verdadeira obra de arte que deve ser valorizada”, pontuou Iracema, que é bordadeira desde os 8 anos de idade.

Indicação geográfica

Uma das metas do Sebrae para potencializar a cadeia produtiva do bordado é a conquista do selo de indicação geográfica. Esse trabalho está sendo desenvolvido há cerca de três anos, através de parceria entre o Sebrae e o Cracas.

“Essa meta deverá ser cumprida até o final de 2018 e será muito importante para o fortalecimento do bordado”, afirma José Rangel, consultor do Sebrae em Caicó responsável pelo projeto. Ele explica que o selo garante a autenticidade dos produtos que são feitos com um viés artístico com características regionais, em cidades como Caicó, Timbaúba dos Batistas, Jardim de Piranhas e Jardim do Seridó.

João Hélio Cavalcanti aponta que a indicação geográfica é um processo longo, mas que dará autenticidade ao bordado produzido no Seridó e poderá alavancar a economia da região, “O Sebrae vem trabalhando o fortalecimento do bordado e o selo de indicação geográfica vai ampliar mercados e conceder a titularidade a uma atividade econômica que é tão importante para a economia da região”, destacou. 

Agência Sebrae de Noticias

Escreva sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado.