Ferraço afirma que Dilma mascarou contas públicas para garantir reeleição

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

A eleição não é um salvo conduto ou um “cheque em branco” que permita ao governante escolhido se colocar acima das leis. A afirmação foi feita pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) ao justificar voto pelo prosseguimento do processo de impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff. Ele mencionou, entre os crimes da presidente, o uso de bancos públicos para financiar políticas públicas e edição de decretos orçamentários sem cobertura fiscal.

— O governo mascarou a real situação de suas contas públicas de todas as formas e pelo maior tempo possível. Não foi um ato isolado, circunstancial. Foram vários atos, um delito contínuo. Tudo para lhe garantir a reeleição, a preservação do poder, a todo e qualquer custo — acrescentou Ricardo Ferraço.

Segundo a Agência Senado, o senador destacou ainda que, no presidencialismo, o instituto do impeachment é um instrumento de defesa do Estado contra o mau governante, que se desvia do compromisso de respeitar a lei.

Escreva sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado.