Palocci diz que ditador da Líbia doou ‘$ 1’ milhão de dólares para campanha de Lula

A campanha eleitoral do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria recebido 1 milhão de dólares do ex-ditador líbio Muamar Kadafi em 2002, ano em que Lula foi eleito para o seu primeiro mandato. A informação consta na proposta de delação premiada entregue ao Ministério Público por Antonio Palocci e foi divulgada pela revista VEJA desta semana. 

O ex-ministro da Fazenda do governo Lula está preso desde setembro de 2016 e negocia sua delação há sete meses. Em 2013, o ex-presidente francês, Nicolas Sarkozy, também foi acusado de ter recebido dinheiro de Kadafi para sua campanha. Ele teria embolsado a quantia de US$ 50 milhões.

Muamar Kadafi governou a Líbia por 42 anos e foi morto em 2011 por rebeldes do Conselho Nacional de Transição (CNT). Antes de ser alvo de uma revolta sem precedentes contra seu regime autoritário, o ditador chegou a ser um dos líderes do mundo árabe mais bem aceitos pelos chefes de Estado de todo o globo. Além de Lula, Barack Obama, Tony Blair, Nicolas Sarkozy, Silvio Berlusconi e Vladimir Putin fazem parte da lista dos políticos que tinham uma boa relação com o ex-ditador.

Escreva sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado.