Petistas são “doentes, alienados e perseguidores”, diz candidata de Bolsonaro no RN

Candidata a deputada estadual pelo PSL, mesmo partido do presidenciável Jair Bolsonaro, a jornalista e empresária Wilma Wanderley acredita que a liderança de Fátima Bezerra (PT) nas pesquisas de intenção de voto para o Governo do Rio Grande do Norte é resultado de um trabalho de “doutrinação” orquestrado pelo PT dentro de escolas e universidades. Ela também credita o desempenho da petista no interior do Estado aos baixos índices educacionais e à pobreza.

“Há uma carência financeira grande. Por causa disso, o nosso interior ainda vive muito a política tradicional, do toma lá dá cá. Além disso, sabemos que a educação liberta o homem, mas o Rio Grande do Norte está muito aquém no ranking no Ideb [que mede a qualidade da educação básica]. E, além do mais, o PT tem feito dentro das escolas um trabalho de doutrinação. Existe um trabalho dos professores [para que os estudantes votem em candidatos do PT]”, disse Wilma.

Para a jornalista potiguar, que concorre em uma eleição pela primeira vez, o PT se tornou uma “seita” cujos seguidores são “alienados” e “perseguidores” de pessoas que pensam de forma diferente. “Alguns bairros não recebem mais adesivos de Jair Bolsonaro [presidenciável do PSL] porque o PT está impregnando o medo, o terror”, argumenta.

Na opinião dela, Jair Bolsonaro sairá vencedor das eleições presidenciais e ele só não lidera as pesquisas de intenção de voto no Rio Grande do Norte porque os eleitores têm medo de serem “perseguidos” pelo PT. “Eu acredito que a maioria [de apoiadores] de Bolsonaro só vai ser estampada nas urnas. As pessoas não revelam o voto porque correm o risco de serem perseguidas pelo PT. Isso é democracia?”, questiona.

Wilma Wanderley diz temer um eventual governo de Fátima Bezerra. “É caso para pensar duas vezes em se mudar. Seria um desastre. Fátima é arrogante. O PT, do jeito que está, é capaz de querer ‘dar na gente’ no meio da rua. É uma situação de ódio. ‘Ou é PT ou não existe, tem que morrer’. São doentes, alienados”, dispara.

A candidata do PSL continua dizendo que seria “lastimável” para o Rio Grande do Norte ter Fátima Bezerra como governadora. “Ela não tem experiência administrativa. É uma pessoa sectária, tem muito rancor. Para nós, isso seria péssimo, principalmente tendo Bolsonaro como presidente”.

“O PT está acabando com a família, com a ordem e com o progresso. Tudo preso e ficha suja. Até a bandidagem diz que vota nela”, emenda Wilma, se referindo ao polêmico áudio em que supostamente um traficante declara apoio à petista.

1 Comentário

Petista

set 9, 2018, 3:14 pm Responder

Não alienado não, minha senhora.

Deixe uma resposta para Petista Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.