Publicado guia com novos critérios para triagem de doadores de sangue

Foto: Reprodução

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou um guia com novos critérios para a triagem clínica e epidemiológica de candidatos a doação de sangue. Em vigor desde o dia 7 de agosto, o material atualiza as orientações aos serviços de hemoterapia.

A norma elimina, por exemplo, a restrição de doação de sangue por homens que tiveram relações sexuais com outros homens e/ou com parceiras sexuais destes nos últimos 12 meses antes do procedimento. “Além de formalizar novas recomendações para o setor, o guia será um instrumento para coleta de contribuições da sociedade sobre a proposta de inclusão dos novos critérios. Para isso, foi disponibilizado um formulário para o envio de sugestões”, informou a Anvisa.

O prazo da consulta será de 180 dias, contados a partir desta segunda-feira (10), ou seja, até 5 de fevereiro de 2021.

Mudanças

O fim da restrição de doação de sangue por homens que tiveram relações sexuais com outros homens e/ou com suas parceiras sexuais atende a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou a medida inconstitucional.

Recomendações

Além da inclusão de novos critérios a serem aplicados, o guia traz sugestões de requisitos que possam ser avaliados na história da pessoa candidata à doação, independentemente dos grupos populacionais que represente, buscando a triagem de indivíduos de baixo risco na população geral para a doação de sangue.

Propostos na forma de recomendações, os critérios, segundo a agência, foram pactuados com especialistas da Rede Nacional de Serviços de Hematologia e Hemoterapia e já vêm sendo aplicados desde a formalização da decisão do STF, em junho deste ano.

Informe

A Anvisa também coordena a elaboração de um informativo destinado à sociedade sobre a doação e a transfusão de sangue mais seguras, com participação de especialistas e de representantes da comunidade LGBTI+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, intersexo e outras orientações sexuais e grupos).

“O objetivo é esclarecer e reforçar informações importantes para a pessoa que queira doar sangue”, informou a agência. Acesse a íntegra do guia aqui. Para enviar sugestões ao conteúdo da publicação, basta acessar o formulário de contribuições.

AGÊNCIA BRASIL

2 Comentários

SILVAN BATISTA TEIXEIRA

ago 8, 2020, 9:36 pm Responder

Pelo que sei, não há médico no STF para opinar na área da Saúde. Sugiro os homos terem o banco de sangue deles.

Rondinelli De Azevedo Carvalho

ago 8, 2020, 9:52 am Responder

Rapaz, vendo um comentário idiota desse que fico indignado! Sou hétero e doador e respeito as opções de todos e compreendo que eles são seres humanos e que um dia poderei precisar de ajuda de um deles e será bem vindo.
O Amigo Silvan deveria pensar que seus filhos ou netos podem ser um deles e aí vem a pergunta: Deixaria de ama-los se fossem gays? responde aí.
Outra coisa, doar sangue é seguro e caso for detectado o sangue não será usado! procure se informar antes de comentar bobagens.

Deixe uma resposta para SILVAN BATISTA TEIXEIRA Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.