Reunião Climática em Jardim do Seridó – O que disse Gilmar Bristot

Numa reunião bastante concorrida, ontem na Câmara dos Vereadores de Jardim do Seridó, Gilmar Bristot falou aos presentes sobre as observações dos últimos dias, e o que pode mudar sobre os prognósticos para 2015. Em resumo, temos as seguintes informações:

DE POSITIVO:

  • O ano de 2015 em relação ao ano passado, apresenta de positivo, a questão da direção dos ventos. As condições apresentadas até fevereirorelacionadas a temperatura e pressão não eram boas;
  • Os ventos de sudeste estão fracos o que é bom para ZCIT;
  • Verificou-se uma evolução favorável na relação de temperaturas dos Oceanos Atlântico Norte e Atlântico Sul;
  • Verifica-se uma boa combinação: Zona de Convergência baixa – direção dos ventos – temperatura fria do Atlântico Norte.

DE NEGATIVO:

  • Analisando os parâmetros de chuvas na Austrália(Oscilação 30-60), estaríamos entrando num período de poucas chuvas;
  • Com relação às manchas solares, estamos entrando num período de transição(2015, 2016 e 2017) em que só teremos uma condição totalmente favorável entre 2018 a 2020;
  • As chuvas do Acre estão diminuindo a umidade da Amazônia que seria deslocada para o Nordeste.

CONSIDERAÇÔES FINAIS:

  • Os Oceanos é que determinam os climas na terra;
  • Os continentes são passivos com relação ao que acontece. Condições criadas nos continentes adicionadas aos fatores externos ajudam para a consequência final que verificamos, que são as chuvas;
  • Falta ainda um monitoramento mais eficiente do comportamento desses oceanos. Daí as deficiências ainda verificadas nas previsões;
  • Em relação à recuperação dos volumes dos açudes, vai depender das bacias hidráulicas de cada um, uma vez que predominará a variabilidade espacial das chuvas;
  • As chuvas no Nordeste, especificamente, são influenciadas pelos Oceanos Atlântico Norte, Atlântico Sul e Oceano Pacífico;
  • As precipitações para o Seridó entre fev-mar-abr devem ficar entre 266 a 450 mm.

1 Comentário

Pedro

mar 3, 2015, 2:30 pm Responder

Quem sabe mesmo é o Cururu Bandeira de Max Medeiros de São João do Sabugi. Tem que entrevistar o mesmo, ou seja, o referido bicho. Forte abraço a todos!

Deixe uma resposta para Pedro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.