Risco: Jovem vítima de estupro coletivo no Rio deixa apartamento juntamente com a família

1 (2)A jovem de 16 anos vítima de estupro coletivo que teve imagens divulgadas nas redes sociais deixou na manhã deste sábado o apartamento onde morava com a família.

A informação foi confirmada por dois porteiros do condomínio de classe média no bairro da Taquara, na zona oeste. A polícia também confirma. 

Segundo funcionários, ela saiu com toda a família, sem dizer quando voltaria. A moça mora com a mãe, o pai, um irmão e o filho de três anos.
O crime assustou os moradores do condomínio, formado por três edifícios, cada um com cinco andares, e uma área de lazer comum, com piscina. “Foi uma das coisas mais terríveis que já vi na minha vida, muito chocante. Eu vejo sempre a família na piscina, converso com o pai e a mãe dela. Com ela não conversei, mas a via sempre. É uma moça muito bonita. Esse lugar onde ela foi, aquela comunidade é muito perigosa”, disse Rogério Abdala, morador do condomínio, referindo-se à favela São José Operário, onde fica a casa em que a jovem foi atacada, segundo ela por 33 homens.

Os agressores, segundo a vítima, estavam armados e a insultaram da várias formas. Imagens da moça depois do estupro foram divulgadas em redes sociais e chocaram internautas, que denunciaram o fato ao Ministério Público.

O policiamento está reforçado neste sábado na região próxima à Praça Seca, também na zona oeste, onde fica a favela.

http://www.parana-online.com.br/editoria/pais/news/956990/?noticia=JOVEM+VITIMA+DE+ESTUPRO+COLETIVO+NO+RIO+DEIXA+APARTAMENTO+COM+A+FAMILIA

3 Comentários

Inácio Augusto de Almeida

maio 5, 2016, 8:55 pm Responder

E assim a Lava Jato vai ficando para segundo plano. Ofuscam a Lava Jato com um estupro como se diariamente não acontecessem milhares de estupros no Brasil. Ou alguém pensa que todos os estupros são notificados e entram nas estatísticas?
Se já sabem quem filmou este estupro, prender os outros monstros é coisa de querer prender.
Mas se querem manter os holofotes afastados da Lava Jato é fazer este estupro render o máximo possível.
Continuam fazendo o povo brasileiro de besta.
////
OS RECURSOS SAL GROSSO NÃO SÃO JULGADOS POR QUÊ? O QUE IMPEDE OS RECURSOS SAL GROSSO DE SEREM JULGADOS? PERGUNTO ISTO COMO UM CIDADÃO QUE PAGA IMPOSTOS QUE A CORRUPÇÃO SURRUPIA. E A CORRUPÇÃO SÓ EXISTE PORQUE EXISTE A MALDITA IMPUNIDADE.

Ana Laura

maio 5, 2016, 8:30 am Responder

O senhor deve ser um seguidor do Jair Bolsonaro. A garota foi sim brutalmente ”ESTUPRADA”. Nenhuma mulher iria se prestar ao ridículo de fazer sexo com 33 homens e deixar sair na mídia para que o mundo inteiro saiba. Nem a Bruna Surfistinha quis passar por tal situação parecida, ela tinha interva-los, porque meu amigo, vagina é feita de couro, mais, é uma área sensível, não tem periquito que aguente 33 pênis seguidos penetrando seu útero. Mais esses 33 pênis não feriu apenas o útero dela, feriu mesmo à alma dela, que nunca mais esquecerá o que passou naquele dia. Que Deus possa preservar a familia do senhor, Sr. Inácio para quê nunca passe por tal situação. Que a Política continue sendo seu único assunto de preocupação, assim terá noites bem dormidas, comparadas a familia dessa moça que não terá mais paz.

Inácio Augusto de Almeida

maio 5, 2016, 9:49 am Responder

Releia o meu texto. Em nenhum momento eu disse que o estupro não aconteceu.O que eu questiono é o fato de estarem alongando uma investigação que já era para ser concluída. Observe que eu tratos os estupradores de MONSTROS,até porque eles são MONSTROS.
O pior, Cara Ana Laura, é que depois de presos estes MONSTROS não passarão sequer cinco anos na cadeia. Logo estarão soltos, isto se forem presos, e praticando novos estupros.
Mas que estão usando este estupro para na mídia ofuscarem a Lava Jato, estão. Quantos já sabem que Henrique Alves está sendo investigado na Lava jato e permanece Ministro?
//////////
PS RECURSOS SAL GROSSO SERÃO JULGADOS A QUALQUER INSTANTE.

Deixe uma resposta para Inácio Augusto de Almeida Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.