‘Tudo aponta para uma crise’, diz Bolsonaro ao citar ações do Judiciário

O presidente Jair Bolsonaro escreveu neste sábado, 30, no Facebook que ‘tudo aponta para uma crise’, ao comentar decisões recentes do Supremo Tribunal Federal (STF), do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que miram a família, aliados e a sua campanha presidencial em 2018.

“Primeiras páginas dos jornais abordaram com diferentes destaques, as decisões envolvendo a atuação do Supremo Tribunal Federal, da Polícia Federal, do Tribunal de Contas da União e do Tribunal Superior Eleitoral em relação ao governo Bolsonaro e seus aliados”, escreveu o presidente.

A primeira notícia destacada por Bolsonaro foi o encaminhamento, pelo ministro Celso de Mello, à Procuradoria-Geral da República (PGR) de um pedido de investigação contra o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) por crime de incitação à subversão da ordem política ou social. A prática está prevista na Lei de Segurança Nacional.

A notícia-crime foi protocolada na Corte para investigar as declarações de Eduardo de que não se trata de uma questão de “se”, mas sim de “quando” Bolsonaro adotará uma “medida energética” após operação da Polícia Federal no inquérito das ‘fake news’ atingir aliados do Planalto.

Bolsonaro também observou que os principais jornais do País destacaram o pedido da Polícia Federal para prorrogar, por mais 30 dias, as investigações do inquérito que apuram se o presidente da República tentou interferir politicamente na corporação, conforme acusou o ex-juiz federal Sérgio Moro.

O presidente da República ainda destacou reportagem publicada na edição deste sábado do Estadão, que informou que o avanço do inquérito das fake news deve chegar ao núcleo próximo do Palácio do Planalto. A expectativa de integrantes do STF é a de que, se em um primeiro momento Moraes optou por focar nos tentáculos operacionais do “gabinete do ódio”, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) deve ser atingido já na etapa final do inquérito, com o aprofundamento das investigações.

2 Comentários

GIl Braz Silva Romero

maio 5, 2020, 8:39 pm Responder

Todos políticos são envolvidos em politicagens, então é haver investigações e saber quais as intencidades de cada um e sejam punidos conforme elas. E o mais importante é que as despesas sejam divididas de acordo com as intencidades cometidas por cada um.

GIl Braz Silva Romero

maio 5, 2020, 8:20 am Responder

As investigações devem ser consideradas normais para todo cidadão e para quem assume cargos públicos devem fazer a prestações de contas descrição dos recursos que recebe e em que gastou em redes sociais. A transparência é fundamental para conhecimento de tudo que está passando, causando assim o direito de sujestoes. Sempre existiu pessoas que assume cargos públicos que quer mandar em tudo, como também acontece com cidadãos comoes e essas atitudes atualmente a justiça vem combatendo com um mais de intensidade o que deveria ser com rigorosidade mais autêntica, com a finalidade de inibir as expressões de autoridades que diz o que quer dizer. A DEMOCRACIA apoia todas expressões verbais ou descritas e de quaisquer formas mas que tenha respeito.

Deixe uma resposta para GIl Braz Silva Romero Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.