No Brasil população carcerária cresce 74% em sete anos

A população prisional no Brasil cresceu 74% entre 2005 e 2012. Em 2005, o número absoluto de presos no país era 296.919. Sete anos depois, passou para 515.482 presos. A população prisional masculina cresceu 70%, enquanto a população feminina cresceu 146% no mesmo período. Em 2012, aproximadamente um terço da população prisional brasileira estavam encarceradas em São Paulo.

Os dados estão no estudo Mapa do Encarceramento: os Jovens do Brasil, divulgado hoje (3) pela Secretaria-Geral da Presidência da República. O levantamento foi feito pela pesquisadora Jacqueline Sinhoretto com base nos dados Sistema Integrado de Informações Penitenciárias (InfoPen), do Ministério da Justiça. Segundo o estudo, o crescimento foi impulsionado pela prisão de jovens, negros e mulheres.

1 Comentário

roberto

jun 6, 2015, 4:21 pm Responder

Jair,vc olhando direitinho pra o aumento de presos hj cumprindo pena,é uma forma de se especializar melhor na “FACULDADE DO CRIME” e se o negócio estivesse ruim dentro de um presídio ninguém queria ir prá lá,veja as pessoas costumam fazer escolha,boa ou mal,mais no que tange a regra da sociedade o marginal prefere esta preso pois dentro d um presidio ele tem direitos garantidos na constituição melhor do que um pai de família aqui fora,pois internamente o preso tem 4 refeições diárias e boas,nutricionista,coisa que nem toda a família humilde aqui fora tem,o preso não paga imposto,tem hrs de prazer c/ a esposa ou alguém q o mesmo conheça,tem direito a ser atendido na frente d qualquer contribuinte em um hospital,segurança 24 hrs dentro do presidio,pode curtir um baseado sem que seja incomodado por qualquer agente público pois esta deficiente por falta d efetivo pra monitorar, e o sinal de celular não fica variando pega q é uma beleza dentro d um presidio,justamente pra coordenar roubos e assassinatos aqui fora,estou certo ou errado c/ a minha argumentação?

Deixe uma resposta para roberto Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.