Filho de Lula perde disputa para vereador

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sofre uma derrota dentro de casa na eleição deste domingo. Marcos Lula, seu filho, não conseguiu se reeleger vereador em São Bernardo do Campo. Ele teve apenas 1.504 votos, menos da metade dos 3.882 obtidos em 2012, e foi o 58º na disputa por 28 vagas.

Além do filho do ex-presidente, o candidato do PT a prefeito da cidade, Tarcisio Secoli, ficou em terceiro lugar e está fora do segundo turno. A cidade, berço do partido, é governada há oito anos por Luiz Marinho, um dos principais amigos de Lula na política e foi beneficiadada por generosos repasses de verbas federais enquanto o PT esteve no Planalto.Mais >

Denúncia contra Lula usou delação de Léo Pinheiro rejeitada pela PGR, diz jornal

lula-novo-domingo-1200

A denúncia da força-tarefa da Operação Lava Jato contra o ex-presidente Lula, apresentada na última quarta-feira (14), contém uma informação que só aparece no esboço da delação premiada do empresário Léo Pinheiro, que foi recusada pela Procuradoria-Geral da República. As informações são da Folha de S. Paulo.

De acordo com a reportagem, foi Pinheiro, sócio da OAS, quem disse que a empreiteira descontava os repasses que fez para o apartamento tríplex do Guarujá de uma espécie de conta-corrente que a empresa mantinha com o PT, usada para pagar propina de obras da Petrobras.Mais >

Mesmo após recuo de Teori, Janot afirma que Lula quer embaraçar Lava-Jato

teori-1200

Depois de o ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), foi a vez do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, dizer que a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenta embaraçar as investigações. Em parecer assinado na última sexta-feira, Janot reproduziu as palavras de Teori, mesmo depois de o ministro ter recuado e mandado tirar essa expressão de sua decisão.

Na semana passada, ao negar um pedido de Lula para suspender processos que tramitam na 13ª Vara Federal de Curitiba, comandada pelo juiz Sérgio Moro, Teori disse que isso se tratava de “mais uma das diversas tentativas da defesa de embaraçar as apurações”. Na última quarta-feira, Teori manteve a decisão, mas afirmou que usou uma expressão inadequada e determinou que ela fosse suprimida.Mais >

Lula era o ‘comandante máximo’ do esquema da Lava Jato, diz MPF

LULA NOVA FOTO

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou nesta quarta-feira (14) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a mulher dele, Marisa Letícia, e mais seis pessoas no âmbito da Operação Lava Jato. O procurador Deltan Dallagnol afirmou que, segundo provas do MPF, Lula era o “comandante máximo do esquema de corrupção identificado na Lava Jato”. VEJA A ÍNTEGRA DA DENÚNCIA

A denúncia abrange três contratos da OAS com a Petrobras e diz que R$ 3,7 milhões em propinas foram pagas a Lula. Os crimes imputados aos denunciados são corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Caberá à Justiça decidir se eles se tornarão réus.Mais >

Teori nega suspensão de processos contra Lula

Foto: Divulgação Instituto Lula

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, negou o pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que os processos que correm na Justiça Federal do Paraná, contra ele, fossem suspensos e enviados para o STF. No despacho, Teori alega que os argumentos da defesa do petista constituem mais uma tentativa de “embaraçar” as investigações.

Os advogados do ex-presidente afirmaram que o próprio ministro Teori já reconheceu algumas ilegalidades praticadas pelo juiz Sérgio Moro na condução da Lava Jato.

A defesa de Lula disse ainda que o ex-presidente tem o direito de usar os instrumentos legais para tentar impugnar decisões judiciais e que a decisão do ministro do STF “reforça” o comunicado que o petista fez a ONU, em julho deste ano. Na ocasião, Lula protocolou uma petição nas Nações Unidas denunciando Moro por abuso de poder.

Agripino sobre discurso de Dilma: única novidade foi presença dela na tribuna do Senado

O presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), disse que a única novidade do discurso da presidente afastada Dilma Rousseff,  na manhã desta segunda-feira (29), no Senado, foi a presença da petista na tribuna da Casa. Do resto, segundo o parlamentar pelo Rio Grande, foi uma sucessiva repetição de argumentos. “A única novidade trazida por Dilma no discurso de defesa foi sua inédita presença na tribuna do Senado. Renovou os repetidos argumentos e pronunciou um apelo final vazio de conteúdo e até de convicção”, destacou.Mais >

Lula mentiu em dizer que não foi convidado para participar da abertura das Olimpíadas

O ex-presidente Lula contou uma mentira, segunda (15), ao afirmar se sentir como o personagem do filme “Esqueceram de mim”, por não ter sido convidado à cerimônia de abertura dos Jogos Rio 2016. A piada é boa, mas mentirosa: ele não apenas foi convidado, e por escrito, pelo Comitê Organizador, como confirmou presença na cerimônia. Depois desistiu, alegando que só iria se Dilma, a presidente ré, também fosse.Mais >

Lula mostrou desrespeito à população de Natal, diz Rogério Marinho


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi a Natal na terça-feira (2) e, em seu discurso, buscou se colocar acima da lei e não mostrou solidariedade à população da capital do Rio Grande do Norte, que vive um forte clima de insegurança como resultado de ações do crime organizado deflagradas nos últimos dias. A avaliação é do deputado federal Rogério Marinho (PSDB), eleito para a Câmara como o mais votado da capital potiguar em 2014. Mais >

Moro diz que tinha dados para prender Lula em março


Em resposta aos advogados do ex-presidente Lula, o juiz Sérgio Moro não só rebateu a afirmação de que deveria se colocar em suspeição nas investigações como disse que havia elementos suficientes para decretar a prisão temporária do petista em março, mas optou por uma medida “menos gravosa”: a condução coercitiva. Defensores de Lula criticaram interceptação telefônica obtida, segundo eles, de forma “ilegal” e usada de maneira “parcial”.Mais >

MPF do DF denuncia Lula, Delcídio, Bumlai e mais quatro pessoas por obstrução à Justiça


O Ministério Público Federal do Distrito Federal apresentou nesta quinta-feira (21) à Justiça de Brasília denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-senador Delcídio do Amaral, o pecuarista José Carlos Costa Bumlai, André Esteves (ex-controlador do banco BTG Pactual) e mais 3 pessoas. Eles são acusados de agirem irregularmente para atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato.Mais >

Estratégia: Lula pede a Moro que se declare “suspeito” para julgá-lo


thumb

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolou nesta terça-feira um pedido para que o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, declare sua suspeição para julgar processos que envolvam o petista. Segundo os advogados de Lula, foi também protocolada Reclamação no Supremo Tribunal Federal (STF) “por nova usurpação da competência daquela Corte por parte do juiz Moro”.

No fim de junho, Sérgio Moro “reativou” todos os inquéritos contra o petista na Lava Jato. Após receber sinal verde do STF, o magistrado retomou investigações que envolvem ex-presidente em supostos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na compra e reforma de imóveis, em recebimentos por palestras e em doações ao Instituto Lula.

O Supremo, por ordem do ministro Teori Zavascki, havia decretado a suspensão da tramitação das investigações contra Lula, sob tutela de Moro, na Justiça Federal em Curitiba, em liminar que acolheu pedido da defesa do ex-presidente. Os advogados do petista questionaram a competência da força-tarefa da Lava Jato em primeiro grau judicial para conduzir os casos.

Alguns dos inquéritos, como o da compra do Sítio Santa Bárbara, em 2010, e da reforma executada no imóvel pela Odebrecht, OAS e pelo pecuarista José Carlos Bumlai, estão em fase final, prontos para serem transformados em denúncia formal.

Os criminalistas José Roberto Batochio, Roberto Teixeira e Cristiano Zanin Martins, que defendem Lula, afirmam que ele não teme ser investigado nem julgado por qualquer juiz: “quer justiça e um julgamento imparcial, simplesmente” e que este não é um direito exclusivo do ex-presidente, mas de todo cidadão.

Segundo os advogados, “a defesa de Lula age em defesa do Estado Democrático de Direito e dos valores a ele inerentes, como o direito ao juiz natural e imparcial e à presunção de inocência”.

Para a defesa de Lula, o juiz federal praticou “atos arbitrários” contra o ex-presidente. “A ‘exceção de suspeição’ baseia-se na prática de diversos atos arbitrários pelo juiz contra Lula, desde a deflagração da 24ª fase da Operação Lava Jato (‘Alethéia’), em 4 de março de 2016. São exemplos desses atos arbitrários citados na medida: (I) a privação da liberdade imposta ao ex-Presidente sem qualquer previsão legal na mesma data de 04/03/2016, para forçá-lo a prestar depoimento no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, mesmo não tendo ele se recusado a atender a qualquer intimação anterior e, ainda, (II) o levantamento do sigilo de conversas interceptadas de Lula e de seus familiares, embora a lei imponha tal sigilo sem qualquer exceção (Lei 9.296/96, art. 8º) e estabeleça que a sua inobservância configura crime (Lei nº 9.296/96, art. 8º), além de poder, em tese, configurar abuso de autoridade”, apontam os defensores do petista.

Teori envia à Justiça Federal de Brasília denúncia contra Lula

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta sexta-feira (24) o envio para a Justiça Federal de Brasília de denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela suposta tentativa de comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Também são alvos da mesma denúncia o senador cassado Delcídio do Amaral, o banqueiro André Esteves e outras quatro pessoas.

Os sete são acusados de obstrução à Justiça, por suposta tentativa de atrapalhar a delação de Cerveró na Operação Lava Jato. Procurada, a defesa de Lula informou que não vai se manifestar sobre a decisão.

Para Teori Zavascki, “tais fatos não possuem relação de pertinência imediata com as demais investigações relacionadas às fraudes no ‘ambito da Petrobras’”. Por isso, ele entendeu que deve ser considerado o local onde o suposto crime foi consumado, em Brasília.

62% rejeitam atuais presidenciáveis; Lula lidera recusa

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um levantamento do instituto Paraná Pesquisa avaliou que os possíveis candidatos a presidente em 2018 são rejeitados, em média, por 62,6% dos eleitores. As informações são do colunista do Metro Jornal Cláudio Humberto.

Segundo a pesquisa, 73,4% disseram não votar “de jeito nenhum” no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fazendo do petista o mais rejeitado dos candidatos; 62% não votam em Geraldo Alckmin (PSDB); 61,9% em Aécio Neves (PSDB); 58,2% em José Serra (PSDB) e 57,5% em Marina Silva (Rede).Mais >

Lula começa a ser denunciado criminalmente

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Luiz Inácio Lula da Silva começa a ser denunciado criminalmente, nas próximas semanas, ao juiz federal Sérgio Moro por suposto envolvimento no esquema de cartel e corrupção na Petrobras alvo da Operação Lava Jato.

Novas perícias criminais e análises de documentos apreendidos pela Polícia Federal, na 24ª fase (Operação Aletheia) deflagrada em 4 de março, que teve como alvo o ex-presidente, vão ampliar as frentes de investigações, que voltarão a ser conduzidas pela força-tarefa da Procuradoria, em Curitiba.Mais >

Lula: governo deve se comportar como interino

Foto: Divulgação Instituto Lula
Foto: Divulgação Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, em entrevista ao canal russo RT em espanhol, que o governo do presidente em exercício, Michel Temer, “deveria se comportar como interino”, argumentando que o Senado pode ainda mudar de ideia e a presidente afastada, Dilma Rousseff, voltar ao poder.

Na entrevista disponível no site do canal, Lula criticou o fato de o governo Temer – que na avaliação dele não tem legitimidade – realizar mudanças nesse período em que o afastamento de Dilma não está confirmado. “E se daqui a três meses a Dilma conquista a vitória no Senado, terá que refazer tudo, um país não pode suportar isso”, avaliou. “O governo interino está atuando com muita falta de respeito àquilo que o Senado lhe deu: uma interinidade.”

Lula qualificou o processo de afastamento de Dilma como um “estupro contra a democracia brasileira”. Segundo ele, seu desconforto no dia do afastamento ocorreu não apenas porque a presidente deixava o poder de forma abrupta, mas a interrupção de “todo um projeto, de sonhos, de inclusão social”. Na entrevista, Lula defendeu seu legado de aumento da classe média e retirada de milhões da miséria.Mais >

Dilma corrigirá Bolsa Família e tabela do IR

Dilma estará mais uma vez ao lado de Lula / Lula Marques/ Agência PT
Dilma estará mais uma vez ao lado de Lula / Lula Marques/ Agência PT

Para contrapor as propostas dos aliados do vice Michel Temer na área social, a presidente Dilma Rousseff anuncia hoje, nas comemorações do 1º de Maio, reajuste de 5% na tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) e de 9,5%, em média, nos benefícios do Bolsa Família. A correção da tabela só vai valer em janeiro de 2017. Já a do Bolsa Família entrará em vigor em junho.

Dilma participa neste domingo do ato promovido pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Anhangabaú, ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No evento, os petistas vão insistir na tese de que o impeachment é “golpe” e atacarão Temer. Os aliados do governo querem dar caráter emotivo ao ato, já considerado nos bastidores como “último grande comício” de Dilma.

As correções da tabela do IRPF e do Bolsa Família têm tanto efeitos políticos – Dilma quer se “despedir” com o pacote de bondades – quanto econômicos. Nesse quesito, a equipe da Fazenda prepara mudanças nas regras do imposto para que o impacto nas contas do governo seja neutro. A alteração vai trazer travas para barrar a prática de contribuintes esconderem a renda de pessoa física por meio de uma pessoa jurídica. São contribuintes que abrem empresa, mas prestam serviços típicos de pessoa física. Mais >

Dilma participa do 1º de Maio e deve anunciar reajuste do Bolsa Família

DILMA E LULA DOMINGO 1100

Juntos, CUT, CTB, Intersindical, MST, MTST, CMP, e todas as mais de 60 entidades que formam as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo vão denunciar o “golpe” em curso no Brasil, explicar para a sociedade que, se o golpe se consumar todos perderão, especialmente, a classe trabalhadora. “O retrocesso será enorme”, afirma o presidente da CUT, Vagner Freitas.

Segundo ele, nos últimos dias os jornais vêm divulgando amplamente a agenda conservadora do vice-presidente Michel Temer, que “lidera o processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff junto com Eduardo Cunha”.

“O projeto do Temer e dos empresários que financiam o golpe é extinguir ou reduzir programas sociais e direitos conquistados com muita luta como carteira assinada. Eles já falaram em acabar com a política de valorização do salário mínimo e fazer reforma na previdência, como querem os patrões (…) Privatizar tudo que for possível”, diz Freitas.Mais >

Lula está preocupado com desdobramentos políticos

 Renan Calheiros se reúne com o ex-presidente Lula / José Cruz/Agência Brasil
Renan Calheiros se reúne com o ex-presidente Lula / José Cruz/Agência Brasil

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta terça-feira (26) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contou estar preocupado com os desdobramentos do processo político.

Na chegada a seu gabinete, após se reunir durante uma hora e meia na residência oficial do Senado com Lula, Renan destacou que o ex-presidente não classificou o impeachment da presidente Dilma Rousseff – em tramitação no Senado – como um “golpe”.

Segundo o peemedebista, Lula disse acreditar muito no Brasil, que o País é maior do que a crise, e o ex-presidente se mostrou disposto a colaborar com saídas. Na entrevista, Renan afirmou ter reforçado a Lula que, como presidente do Senado, atuará de forma “inafastável” com isenção durante a tramitação do processo.Mais >

Lula participa de ato pró-Dilma e ataca Temer: tem medo de encarar as urnas

Na imagem: Lula discursa em Ato com Movimentos Sociais / José Cruz/Agência Brasil
Na imagem: Lula discursa em Ato com Movimentos Sociais / José Cruz/Agência Brasil

Em ato contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff realizado neste sábado, dia 16, em Brasília, Luiz Inácio Lula da Silva disse que recorrerá a governadores para conquistar votos contrários à aprovação do prosseguimento do processo de impeachment pela Câmara dos Deputados. “Ainda tenho três governadores para conversar”, disse. “Vou conversar com governadores que eu acho que eles podem nos ajudar”, completou.

Para aprovar o prosseguimento do processo de impeachment na Câmara são necessários 342 votos. “Precisamos conquistar metade dos 513 votos [total de deputados], ou não deixá-los conquistar 342. É uma guerra de sobe e desce, parece a bolsa de valores, tem hora que o cara está com a gente, tem horas que não está mais”, declarou o ex-presidente.

Lula participou do Ato com Movimentos Sociais pela Democracia, no estacionamento do Ginásio Nilson Nelson, na capital do país. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal, o evento conta com 1,5 mil pessoas e reúne movimentos como a Central Única dos Trabalhadores, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, União Nacional dos Estudantes e Central dos Trabalhadores Brasileiros.Mais >

Lula: estou voltando a ser paz e amor

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que vai continuar lutando pela democracia, mas que está voltando a ser “paz e amor”, ao participar de um evento sobre educação no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo, na noite de sexta-feira (9).

“Eu estou voltando a ser o ‘lulinha paz e amor’. Eu não vou ficar com raiva quando eles me ofendem, não há nada nesse país que vai me fazer abaixar a cabeça”, afirmou o ex-presidente. “Pode ter o que quiser, eu vou continuar indo pra rua, defendendo a democracia”.

Segundo a Agência Brasil, Lula disse não entender o porquê de existir tanta aversão contra o PT. “Nós provamos que pobre não era problema, pobre passou a ser a solução desse país. Provavelmente tenha sido esse comportamento nosso que tenha causado tanta raiva tanto rancor e tanto desprezo”.

Mais >