62% rejeitam atuais presidenciáveis; Lula lidera recusa

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um levantamento do instituto Paraná Pesquisa avaliou que os possíveis candidatos a presidente em 2018 são rejeitados, em média, por 62,6% dos eleitores. As informações são do colunista do Metro Jornal Cláudio Humberto.

Segundo a pesquisa, 73,4% disseram não votar “de jeito nenhum” no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fazendo do petista o mais rejeitado dos candidatos; 62% não votam em Geraldo Alckmin (PSDB); 61,9% em Aécio Neves (PSDB); 58,2% em José Serra (PSDB) e 57,5% em Marina Silva (Rede).Mais >

Lula começa a ser denunciado criminalmente

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Luiz Inácio Lula da Silva começa a ser denunciado criminalmente, nas próximas semanas, ao juiz federal Sérgio Moro por suposto envolvimento no esquema de cartel e corrupção na Petrobras alvo da Operação Lava Jato.

Novas perícias criminais e análises de documentos apreendidos pela Polícia Federal, na 24ª fase (Operação Aletheia) deflagrada em 4 de março, que teve como alvo o ex-presidente, vão ampliar as frentes de investigações, que voltarão a ser conduzidas pela força-tarefa da Procuradoria, em Curitiba.Mais >

Lula: governo deve se comportar como interino

Foto: Divulgação Instituto Lula
Foto: Divulgação Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, em entrevista ao canal russo RT em espanhol, que o governo do presidente em exercício, Michel Temer, “deveria se comportar como interino”, argumentando que o Senado pode ainda mudar de ideia e a presidente afastada, Dilma Rousseff, voltar ao poder.

Na entrevista disponível no site do canal, Lula criticou o fato de o governo Temer – que na avaliação dele não tem legitimidade – realizar mudanças nesse período em que o afastamento de Dilma não está confirmado. “E se daqui a três meses a Dilma conquista a vitória no Senado, terá que refazer tudo, um país não pode suportar isso”, avaliou. “O governo interino está atuando com muita falta de respeito àquilo que o Senado lhe deu: uma interinidade.”

Lula qualificou o processo de afastamento de Dilma como um “estupro contra a democracia brasileira”. Segundo ele, seu desconforto no dia do afastamento ocorreu não apenas porque a presidente deixava o poder de forma abrupta, mas a interrupção de “todo um projeto, de sonhos, de inclusão social”. Na entrevista, Lula defendeu seu legado de aumento da classe média e retirada de milhões da miséria.Mais >

Dilma corrigirá Bolsa Família e tabela do IR

Dilma estará mais uma vez ao lado de Lula / Lula Marques/ Agência PT
Dilma estará mais uma vez ao lado de Lula / Lula Marques/ Agência PT

Para contrapor as propostas dos aliados do vice Michel Temer na área social, a presidente Dilma Rousseff anuncia hoje, nas comemorações do 1º de Maio, reajuste de 5% na tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) e de 9,5%, em média, nos benefícios do Bolsa Família. A correção da tabela só vai valer em janeiro de 2017. Já a do Bolsa Família entrará em vigor em junho.

Dilma participa neste domingo do ato promovido pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Anhangabaú, ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No evento, os petistas vão insistir na tese de que o impeachment é “golpe” e atacarão Temer. Os aliados do governo querem dar caráter emotivo ao ato, já considerado nos bastidores como “último grande comício” de Dilma.

As correções da tabela do IRPF e do Bolsa Família têm tanto efeitos políticos – Dilma quer se “despedir” com o pacote de bondades – quanto econômicos. Nesse quesito, a equipe da Fazenda prepara mudanças nas regras do imposto para que o impacto nas contas do governo seja neutro. A alteração vai trazer travas para barrar a prática de contribuintes esconderem a renda de pessoa física por meio de uma pessoa jurídica. São contribuintes que abrem empresa, mas prestam serviços típicos de pessoa física. Mais >

Dilma participa do 1º de Maio e deve anunciar reajuste do Bolsa Família

DILMA E LULA DOMINGO 1100

Juntos, CUT, CTB, Intersindical, MST, MTST, CMP, e todas as mais de 60 entidades que formam as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo vão denunciar o “golpe” em curso no Brasil, explicar para a sociedade que, se o golpe se consumar todos perderão, especialmente, a classe trabalhadora. “O retrocesso será enorme”, afirma o presidente da CUT, Vagner Freitas.

Segundo ele, nos últimos dias os jornais vêm divulgando amplamente a agenda conservadora do vice-presidente Michel Temer, que “lidera o processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff junto com Eduardo Cunha”.

“O projeto do Temer e dos empresários que financiam o golpe é extinguir ou reduzir programas sociais e direitos conquistados com muita luta como carteira assinada. Eles já falaram em acabar com a política de valorização do salário mínimo e fazer reforma na previdência, como querem os patrões (…) Privatizar tudo que for possível”, diz Freitas.Mais >

Lula está preocupado com desdobramentos políticos

 Renan Calheiros se reúne com o ex-presidente Lula / José Cruz/Agência Brasil
Renan Calheiros se reúne com o ex-presidente Lula / José Cruz/Agência Brasil

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta terça-feira (26) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contou estar preocupado com os desdobramentos do processo político.

Na chegada a seu gabinete, após se reunir durante uma hora e meia na residência oficial do Senado com Lula, Renan destacou que o ex-presidente não classificou o impeachment da presidente Dilma Rousseff – em tramitação no Senado – como um “golpe”.

Segundo o peemedebista, Lula disse acreditar muito no Brasil, que o País é maior do que a crise, e o ex-presidente se mostrou disposto a colaborar com saídas. Na entrevista, Renan afirmou ter reforçado a Lula que, como presidente do Senado, atuará de forma “inafastável” com isenção durante a tramitação do processo.Mais >

Lula participa de ato pró-Dilma e ataca Temer: tem medo de encarar as urnas

Na imagem: Lula discursa em Ato com Movimentos Sociais / José Cruz/Agência Brasil
Na imagem: Lula discursa em Ato com Movimentos Sociais / José Cruz/Agência Brasil

Em ato contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff realizado neste sábado, dia 16, em Brasília, Luiz Inácio Lula da Silva disse que recorrerá a governadores para conquistar votos contrários à aprovação do prosseguimento do processo de impeachment pela Câmara dos Deputados. “Ainda tenho três governadores para conversar”, disse. “Vou conversar com governadores que eu acho que eles podem nos ajudar”, completou.

Para aprovar o prosseguimento do processo de impeachment na Câmara são necessários 342 votos. “Precisamos conquistar metade dos 513 votos [total de deputados], ou não deixá-los conquistar 342. É uma guerra de sobe e desce, parece a bolsa de valores, tem hora que o cara está com a gente, tem horas que não está mais”, declarou o ex-presidente.

Lula participou do Ato com Movimentos Sociais pela Democracia, no estacionamento do Ginásio Nilson Nelson, na capital do país. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal, o evento conta com 1,5 mil pessoas e reúne movimentos como a Central Única dos Trabalhadores, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, União Nacional dos Estudantes e Central dos Trabalhadores Brasileiros.Mais >

Lula: estou voltando a ser paz e amor

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que vai continuar lutando pela democracia, mas que está voltando a ser “paz e amor”, ao participar de um evento sobre educação no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo, na noite de sexta-feira (9).

“Eu estou voltando a ser o ‘lulinha paz e amor’. Eu não vou ficar com raiva quando eles me ofendem, não há nada nesse país que vai me fazer abaixar a cabeça”, afirmou o ex-presidente. “Pode ter o que quiser, eu vou continuar indo pra rua, defendendo a democracia”.

Segundo a Agência Brasil, Lula disse não entender o porquê de existir tanta aversão contra o PT. “Nós provamos que pobre não era problema, pobre passou a ser a solução desse país. Provavelmente tenha sido esse comportamento nosso que tenha causado tanta raiva tanto rancor e tanto desprezo”.

Mais >

Lula e Marina lideram intenção de votos

Embora Lula lidere a intenção de votos, sua rejeição para os eleitores também aumentou - Foto: Divulgação
Embora Lula lidere a intenção de votos, sua rejeição para os eleitores também aumentou – Foto: Divulgação

Uma nova pesquisa da Datafolha mostrou que o ex-presidente Lula (PT) e Marina Silva (Rede) detém a maioria da intenção de votos para as eleições presidenciais de 2018. As opções entre o partido PSDB registraram queda em comparação com o último levantamento feito.

Em um cenário onde disputariam Lula, Marina e Aécio Neves, o ex-presidente lidera com 21%, seguido de perto pela ex-senadora, com 19%, e, na sequência, o tucano, com 17%. Em dezembro, Aécio possuía dez pontos percentuais a mais em suas intenções de voto.

Atual vice-presidente, Michel Temer (PMDB) – que pude assumir o governo com o impeachment de Dilma Rousseff – possui de 1% a 2% de intenção de voto apenas. Mais >

Na Avenida Paulista, Lula defende a democracia e diz que é preciso restabelecer a paz

Foto: Divulgação CUT
Foto: Divulgação CUT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (18), no manifesto que a Frente Brasil Popular promove na Avenida Paulista contra o impeachment e a favor da democracia, que os brasileiros precisam aprender a conviver com a diversidade. Em discurso, no carro de som posicionado em frente ao Museu de Arte de São Paulo, sob aplausos, ele defendeu a democracia e disse que o tempo que resta ao final do governo Dilma é “suficiente para virar a história do país”.

“Quero dizer para aqueles que não gostam de nós, talvez falte informação, mas temos que convencê-los que democracia é acatar o voto da maioria do povo brasileiro”, destacou. Durante o discurso, Lula juntou-se ao coro dos manifestantes gritando a frase “Não vai ter golpe”. “Não vamos aceitar o fim da democracia e nenhum golpe no país”.

O ex-presidente destacou a importância de se restabelecer a paz no país e lembrou que perdeu as eleições muitas vezes, mas nunca protestou contra quem ganhou. “Tem gente que fala em democracia da boca pra fora. Perdi as eleições em 89, em 94 e em 98 e em nenhum momento vocês viram eu ir pra rua protestar contra quem ganhou.Mais >

Juiz do DF suspende posse de Lula como ministro; governo vai recorrer

LULA POSSE FONTE

O juiz federal Itagiba Catta Preta Neto concedeu liminar há pouco em despacho que suspende a nomeação de Luiz Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil. A decisão acolhe denúncia em ação popular protocolada na vara federal do DF, contra o governo federal, por crime de responsabilidade.

No despacho, o juiz Catta Preta informa que a criação do cargo de ministro chefe de Gabinete Civil é uma irregularidade por parte da presidente Dilma Rousseff.

Ele diz que “caso já tenha ocorrido a posse, suspendo seus efeitos até o julgamento final desta ação”.

O ex-ministro Gilberto Carvalho disse que o governo vai recorrer da decisão.Mais >

Dilma dá posse a Lula como ministro da Casa Civil

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A presidente Dilma Rousseff acaba de dar posse ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como novo ministro-chefe da Casa Civil. Ela também deu posse a Jaques Wagner como ministro-chefe do Gabinete Pessoal da Presidência da República e a Eugênio José Guilherme de Aragão, como novo ministro da Justiça.

Lula substitui Wagner na Casa Civil. Aragão assume o cargo em substituição a Wellington César Lima e Silva, que pediu exoneração na última terça-feira (15). Aragão é subprocurador-geral da República desde 2004.

Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que Wellington deveria deixar o posto em até 20 dias após a publicação da ata do julgamento. Os ministros da Corte decidiram que Wellington não pode chefiar a pasta já que tem cargo vitalício de procurador do Ministério Público da Bahia.

Juiz Sérgio Moro libera áudio de conversa entre Dilma e Lula

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O juiz Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, quebrou o sigilo telefônico do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A gravação, divulgada pela Polícia Federal, revela um diálogo entre Dilma Rousseff e Lula nesta quarta-feira (16), momentos antes da nomeação do ex-presidente como ministro chefe da Casa Civil.

O Portal da Band destacou que no áudio, Dilma afirma que enviará um papel que deverá ser usado apenas em caso de necessidade. Ao falar do documento, a presidente usa a expressão “termo de posse”.

Confira parte do diálogo transcrito:

Dilma: Seguinte, eu tô mandando o ‘Bessias’ junto com o papel para a gente ter ele, e só usa em caso de necessidade, que é o termo de posse, tá?

Lula: Tá bom, tá bom.

Dilma: Só isso, você espera aí que ele tá indo aí.

Lula: Tá bom, tô aqui, fico aguardando.Mais >

Lula aceita assumir ministério; Dilma chama reunião para avaliar delação de Delcídio

Foto: Divulgação Instituto Lula
Foto: Divulgação Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aceitou ocupar um ministério no governo Dilma Rousseff, informou à Reuters nesta terça-feira uma fonte do Palácio do Planalto, e deve ocupar a Secretaria de Governo, atualmente com Ricardo Berzoini, mas com mais poderes.

O ex-presidente estará na tarde desta terça-feira em Brasília para ter uma última conversa com Dilma para acertar o formato do trabalho que fará no governo.

Havia dúvidas sobre qual pasta o ex-presidente aceitaria, Casa Civil ou Secretaria de Governo, já que a Casa Civil teria, em tese, mais poder. Ao mesmo tempo, a Casa Civil inclui também uma grande parte administrativa que Lula não gostaria de ter que lidar para poder se concentrar no rearranjo político do governo.Mais >

Lula é confirmado como Ministro da Casa Civil

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acaba de ser confirmado como ministro-chefe da Casa Civil. A informação é o do líder do PT na Câmara, deputado Afonso Florence (BA).

“Ministro Wagner no dia de seu aniversário mostra grandeza e desprendimento ao deixar a Casa Civil. Lula nova Ministro da pasta!”, também escreveu o deputado José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara, no Twitter.

Homem de confiança da presidente, Jaques Wagner será o novo chefe de gabinete de Dilma Rousseff.Mais >

Lula aceita cargo no Governo de Dilma: vai para a Casa Civil ou a Secretaria de Governo

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O ex-presidente Lula já aceitou ocupar um cargo no governo da presidente Dilma Rousseff. Fontes divergem, no entanto, se o petista será o novo ministro-chefe da Casa Civil ou se assumirá a Secretaria-Geral de governo.

Segundo o Diário do Poder, o anúncio da nova função de Lula, que seria feito ainda na tarde desta terça-feira, 15, passou para amanhã, 16. O adiamento tornou-se necessário para o governo após a divulgação da parte da delação premiada do senador Delcídio Amaral (PT-MS) que cita o ministro Aloizio Mercadante (Educação).

O conteúdo foi divulgado pela revista Veja nesta terça. Mercadante tentou comprar o silêncio de Delcídio a mando do governo e a conversa com José Eduardo Marzagão, assessor da estrita confiança do senador, foi gravada e entregue à Procuradoria-Geral da República.Mais >

Juíza de São Paulo manda para Moro denúncia e pedido de prisão de Lula

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A juíza Maria Priscilla Ernandes, da 4ª Vara Criminal de São Paulo, decidiu mandar para o juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato, nesta segunda-feira, a denúncia e o pedido de prisão feitos pelo Ministério Público estadual contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso tríplex.

Segundo a magistrada, “como é público e notório, tramita perante aquela Vara (13ª Vara Federal de Curitiba) os processos da chamada ‘Operação Lava Jato’, mencionada pelos denunciantes em sua peça”.

O Juízo da 4ª Vara Criminal Central levantou o sigilo do processo para conhecimento público e garantia constitucional (prevista no art. 5º, LX, da CF). A juíza fundamenta que “o pretendido nestes autos, no que tange às acusações de prática de delitos chamados de ‘Lavagem de Dinheiro’, é trazer para o âmbito estadual algo que já é objeto de apuração e processamento pelo Juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR e pelo MPF, pelo que é inegável a conexão, com interesse probatório entre ambas as demandas, havendo vínculo dos delitos por sua estreita relação”.Mais >

Maioria dos Estados protesta contra o governo

Manifestação contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Roussef, na avenida Paulista / Foto: André Tambucci/ Fotos Públicas
Manifestação contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Roussef, na avenida Paulista / Foto: André Tambucci/ Fotos Públicas

Neste domingo (13), 24 estados brasileiros e o Distrito Federal registraram atos contra o governo federal.

Manifestações pediram o impeachment da atual presidente, Dilma Rousseff (PT), bem como a prisão do ex-presidente Lula, investigado pela Operação Lava Jato e o Ministério Público de São Paulo.

Confira detalhes dos protestos em algumas cidades brasileiras:

São Paulo

A Avenida Paulista foi palco da manifestação em São Paulo. Segundo a Polícia Militar, 1,4 milhão de pessoas se reuniram, registrando o maior ato da história da capital paulista. De acordo com o Datafolha, foram 500 mil manifestantes. Mais >

Ministério Público de SP pede prisão preventiva do ex-presidente Lula

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Ministério Público de São Paulo protocolou, na quarta-feira (9), pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na investigação envolvendo o tríplex no Guarujá ligado ao petista.

O ex-presidente é investigado por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica por supostamente ocultar a propriedade, que oficialmente está no nome da empreiteira OAS, investigada na Operação Lava Jato.

Cabe, agora, a Justiça acatar o pedido, que foi encaminhado para a 4ª Vara Criminal de São Paulo e será analisado pela juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga, conhecida por ser firme e linha dura. Ainda não há data para o anúncio da decisão.Mais >

Lula pede a Moro relação de casos em que é citado

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os advogados do ex-presidente Lula entraram com um pedido na 13ª Vara Criminal de Curitiba, do juiz Sérgio Moro, da relação de todos os processos que citam o nome de Lula na Operação Lava Jato.

“Em nome do Princípio da Ampla Defesa”, a defesa solicita “todos os processos, procedimentos ou incidentes vinculados ao presente feito ou não, em regime de sigilo ou não”, que envolvam o nome do ex-presidente.

Na 24ª fase da investigação, deflagrada na última sexta-feira 4, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na casa e em empresas de Lula e de seus filhos e ainda de condução coercitiva contra o ex-presidente.Mais >