Servidores da UFRN têm direito de greve reconhecido pela luta contra a PEC-241

A sessão ordinária do Conselho de Administração (Consad) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realizada nesta quinta-feira, 17, aprovou por unanimidade o reconhecimento ao direito de greve dos servidores técnico-administrativos da instituição. Explícito por meio de Nota, o posicionamento dos conselheiros atende a uma reivindicação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN (Sintest). A seguir, a nota na íntegra.

O Conselho Universitário (CONSUNI) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em sua última reunião, manifestou-se publicamente contrário à aprovação da PEC 241/55 pelo Congresso Nacional, em razão das consequências que resultarão do congelamento e da gradativa redução de recursos para financiar a educação, a ciência, a tecnologia e a inovação, dentre outras áreas fundamentais para o desenvolvimento do país.

Os servidores técnico-administrativos da UFRN estão mobilizados contra a aprovação da PEC 241/55 pelo Congresso Nacional e pelo cumprimento do Acordo de Greve de 2015 pelo Governo Federal. Nesse contexto, o Conselho de Administração da UFRN (CONSAD) reconhece o direito de greve dos servidores, a legitimidade do movimento nacional, posiciona-se contra qualquer forma de retaliação ao movimento grevista e recomenda o diálogo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do RN (Sintest/RN), como forma de solução de conflitos. Espera, ainda, que o Governo Federal discuta com a sociedade as alternativas para a superação da crise que aflige a todos.

Natal, 17 de novembro de 2016.

Ângela Maria Paiva Cruz
Presidente

1 Comentário

Val Seridó

nov 11, 2016, 10:47 am Responder

No dia em que esta ideologia socialista pular fora das universidades teremos um ensino de qualidade. Esta maneira de ver o mundo erra pelos seguintes motivos: estimula a inveja e, por consequência, o ódio entre as pessoas, sempre nivela as pessoas por baixo, estimulando a inversão de valores; não difere valores morais (virtudes) de depravação, trazendo mais sofrimento para as pessoas. Além de tudo isso, acreditam que são uma casta que não cometem erros, que a salvação do mundo depende deles e de sua visão e se esquecem que são seres sujeitos as falhas e inclinações erradas como todos nós. Esta greve é fruto do aparelhamento dos órgãos de ensino. Qual a proposta deles para tirar o país da situação que em 13 anos de poder nos colocaram? Chega de hipocrisia!

Deixe uma resposta para Val Seridó Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.