Delegado faz crítica ao intervencionismo federal por meio das forças armadas na segurança pública

O delegado da polícia civil da Paraíba, Adjuto Dias, usou suas redes sociais pra fazer uma crítica ao modo como vem sendo tratada a questão da segurança pública:

“Tanta coisa boa que deu certo e poderia ser estudada na área de segurança pública, como os movimentos de lei e ordem e posteriormente as polícias comunitárias em Nova York, o pacto pela vida em Pernambuco, o Paraíba Unida pela Paz no estado da Paraíba, o ronda do quarteirão no Ceará. Ao invés de mandar o exército de um canto a outro do país o governo federal poderia pensar em financiar um projeto piloto de segurança pública em algum estado que depois pudesse ser expandido para outros locais.”

O delegado deu a entender ainda que a solução para o problema passa por uma mudança na legislação:

“Porém, que uma coisa fique clara, solução real e efetiva nessa área somente quando se encontrar um meio de quebrar a sistemática de financiamento do crime organizado. E isso passa por uma reformulação do tratamento normativo dado à questão das drogas, embora a lei de drogas de 2006 tenha sido um avanço à sua época” concluiu.

Enquanto na Paraíba houve redução no número de homicídios, RN teve aumento

No Rio Grande do Norte, policiais com salários atrasados, recorde absoluto de homicídios de todos os tempos neste ano de 2017, força nacional convocada de forma emergencial, policiais sob ameaça de prisão. 
Enquanto isso na Paraíba, o estado conseguiu mais uma vez reduzir os índices de homicídios em 2017, já é o sexto ano seguido de redução. O estado paga seus policiais dentro do mês trabalhado.
O policial recebe gratificações por cada apreensão de arma de fogo; O policial recebe também premiações por redução nos índices em cada semestre, que, dependendo da redução, pode chegar a representar um 14º salário; Triste realidade para os potiguares.

Delegado caicoense faz balanço de operação no sertão paraibano que recuperou, nos últimos dias, mais de vinte veículos roubados

Com a apreensão de um veículo Hyundai Tucson por policiais civis na manhã de hoje, o delegado caicoense Adjuto Dias Neto utilizou suas redes sociais para fazer um balanço do trabalho das polícias civil e militar, nesses últimos dias, no tocante à recuperação de veículos roubados no sertão paraibano.

Segundo o delegado, desde que começaram as denúncias de que a região da Serra de Teixeira estava sendo usada por quadrilhas interestaduais para despacharem carros roubados de outros estados, já foram apreendidos e recuperados mais de 20 veículos nos últimos 25 dias, o que dá quase um veículo a cada 24hs, sendo cada um dos proprietários autuados em flagrante pelo delito de receptação.

O delegado aproveitou para enaltecer o trabalho da polícia militar da região e fazer um alerta: “Um trabalho como esse serve como alerta para aqueles que realizam a aquisição de veículos sem o atendimento das devidas formalidades perante os órgãos competentes e sem as devidas cautelas, prática ainda tão comum. Mostra que, ao contrário do que as quadrilhas imaginavam ao desovar tais veículos nessa região, o sertão tem policiais preparados e aptos a combater tal tipo de crime.”Mais >

VIVER OU MORRER

Adjuto Neto
Delegado de Polícia Civil(PB)

Cada um que vier a ler esse texto certamente já teve algum parente, amigo, ou conhecido vítima da violência urbana. Todos conhecemos alguém. E se por um acaso você que está lendo ainda não conhece, em breve conhecerá.

Nesse cenário de descontrole da violência, uma situação tem se tornado cada vez mais comum. E quando o policial é a vítima?

Em situações assim, não restará ao policial, estando armado, outra alternativa senão reagir. E, aqueles com viés pacifista, nem levantem a tese de que o policial poderia entregar sua arma e render-se, suplicando por sua vida. Em uma situação como essa a probabilidade maior é que o policial, ao ser identificado como tal, seja sumariamente executado.

A situação vivida pelo policial nesses casos é tão difícil que até mesmo quando a reação tenha pleno êxito, sem que a vítima (policial) ou terceiros venham a ser atingido(s), será contra si aberta investigação, apurando em detalhes se sua reação foi proporcional, se não houve excessos, se os meios foram os estritamente necessários para se fazer cessar a injusta agressão.

Segundo reportagem publicada no jornal Tribuna do Norte, no dia 05/06, mesmo dia da morte de Sgto Cândido, o RN já contava com 11 agentes de segurança pública mortos em 2017. Hoje esse número subiu para 12 com a morte do policial CB PM Mario Pinheiro de Lima.

O ano nem chega a sua metade e já se estabelece um novo recorde negativo quando o assunto é violência urbana.

Percebe-se que a escalada desenfreada da violência que vem vitimando a população em geral também vitima o policial. Nesse ultimo caso, com um aspecto de crueldade: é viver ou morrer.

A convite de amigos, Adjuto Neto participa de festividades juninas no final de semana

Ladeado de boas companhias, Adjuto Neto aceitou todos os convites que recebeu no último final de semana e participou de várias festividades juninas em Caicó.

No último Sábado, Adjuto esteve no bairro Maynard a convite do vereador José Rangel, que fez uma grande festa de rua para comemorar as festividades juninas.

A festa do vereador Diogo Silva, no Atlético Clube Corintians, muito animada, também recebeu a visita de Adjuto Dias, que pode ser candidato a deputado estadual.

Das lideranças locais que acompanham Adjuto Neto, estão a vereadora Maria Cleide, o vereador Lobão Filho e o ex-vereador Mancuzo.Mais >

Politica: está estampado nas ruas

“Água só corre para o mar”, esse velho dito popular vai se confirmar em Caicó no pleito de 2018. As últimas notícias mostram o crescimento dos apoios e demonstrações de simpatia pela eleição do jovem Adjuto Neto.

Hoje, as bases de apoio a Adjuto Neto já somam 7 Vereadores, mas, em breve poderá crescer ainda mais. Nos bairros, o número de lideranças aumenta todos os dias ao sinalizar apoio ao futuro jovem Deputado.

O calor humano em prol dessa campanha já tocou as ruas de Caicó, aonde é possível ouvir o povo dizer: É com Adjuto que eu vou votar. Caicó demonstrará ter força e eleger seus Deputados filhos da terra.

Por Rômulo Targino

Adjuto Neto participa das festividades de Nossa Senhora de Fátima em Caicó

O presidente municipal do PMDB de Caicó e delegado da Polícia Civil esteve neste sábado no bairro Vila do Príncipe, zona norte da cidade, participando das festividades alusivas à Nossa Senhora de Fátima. Ele esteve ao lado dos vereadores Odair Diniz, Ivonete Dantas e Rosângela Maria. Foi uma oportunidade para reencontrar amigos e também de participar do animado leilão da festa.
“Toda a comunidade do bairro Vila do Príncipe está de parabéns pela organização da festa, que é considerada uma das principais da nossa cidade. Estivemos no bairro conversando com os amigos, reencontrado pessoas importantes do nosso município que residem no vila. Portanto, muito importante essa participação nas festividades de Nossa Senhora de Fátima”, destacou Adjuto.

Segurança pública como política de estado: o exemplo que vem do sertão paraibano

O crescimento na taxa de homicídios no Brasil se torna significativo a partir da década de 1980. Em um primeiro momento, o aumento se restringe a grandes centros, como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo.

 A partir dos anos 2000, a alta  nos índices de homicídios migra para centros menores no Norte e no Nordeste, impulsionado pelo crescimento populacional e do PIB experimentados no período em estados de menor porte dessas regiões. A Paraíba e o Rio Grande do Norte inserem-se nesse contexto. 

 Levando-se  em conta dados publicados em 2013 pelo Instituto Mapa da Violência, no período de 10 anos compreendido entre 2001 a 2011, a taxa anual de homicídios na Paraíba  salta de 14,1 para 42,7 a cada 100 mil habitantes. Mais que triplicou. O estado avançou  da 21a  para a 3a posição no desonroso ranking nacional de homicídios. 

 No mesmo período, o Rio Grande do Norte viu sua taxa de homicídios disparar de 11,2 para 32,6 a cada 100 mil habitantes. A Organização Mundial de Saúde (OMS)  considera violência epidêmica quando o índice ultrapassa 10 homicídios por 100 mil habitantes. 

 O avanço nos índices de violência nesses estados levou os governantes, pouco a pouco, a serem cobrados por resultados efetivos. A polícia teve de ser encarada de forma profissional. 

 Em  2011, foi implantado o programa Paraíba Unida Pela Paz. Tinha por base outro projeto idealizado em Pernambuco, anos antes, com o nome Pacto Pela Vida. 

 Já no ano seguinte, a Paraíba teve a primeira redução na taxa anual de homicídios em muito tempo, interrompendo uma série histórica negativa que já durava 10 anos. 

 Em números absolutos, foram 1619 homicídios registrados em 2011 (recorde histórico no estado). Em  2016 foram 1322. Uma redução acumulada de 18,3% desde a criação do programa.

 Com o Paraíba Unida Pela Paz, a polícia passou a ser cobrada, de forma efetiva, por resultados  na  redução desses  índices e na elucidação dos casos. Reuniões periódicas passaram a ser realizadas com a presença do governador. Nelas, gestores da segurança pública viriam a ser diretamente cobrados. 

 Os policiais, por sua vez, passaram a receber prêmios semestrais pelos resultados na redução dos índices por região pactuada e bonificações a cada apreensão de arma de fogo.

 O maior ícone do programa em 2016  foi Patos, no sertão paraibano. A cidade conta com uma população de 107.067 habitantes, segundo último censo do IBGE. Dados disponibilizados pela 15a  Delegacia Seccional(Patos), apontam  índice de resolução de 88% dos homicídios ocorridos nesse último ano na cidade. 

 Dados da Secretaria de Defesa Social (SESDS/PB) mostram que houve uma redução de 58,6% nos homicídios de um ano para o outro na cidade de Patos (58 em 2015, contra 24 em 2016), sendo a maior queda  registrada em todo o estado. 

 Tamanha eficiência é explicada por uma peculiaridade da região. Sem vaidades, Polícia Civil e Militar trabalham em conjunto na busca pelos resultados. 

 Em março último, a Operação Sualk, em Patos, contou com a participação de 250 policiais, cumpriu mandados de busca e apreensão e 46 mandados de prisão, boa parte deles de indivíduos que já se encontravam presos.  

 O resultado dessa operação mostra que a repressão a esse tipo de crime, além de efetiva, tornou-se qualificada. Agora não apenas os executores de homicídios são punidos, mas também partícipes e mandantes, como chefes de organizações criminosas que atuavam de dentro dos presídios ordenando os crimes. 

 Paradoxalmente, os crimes patrimoniais avançam. Os investimentos em segurança pública são insuficientes em todo o país, apontam estudos. O cobertor é curto. 

 Fica claro que a segurança pública deve ser tratada com a seriedade que merece. As políticas públicas nessa área devem ser desenvolvidas e encaradas como verdadeiras políticas de estado, resultantes de uma tomada de consciência dos agentes políticos em conjunto com a sociedade, ultrapassando os períodos de determinado governo e não mudando em sua essência com a alternância de poder,  própria do regime democrático. 

Adjuto Dias Neto

Delegado de Polícia Civil/PB

Adjuto Dias faz visitas em Caicó

O presidente do diretório municipal do PMDB de Caicó, Adjuto Dias está em Caicó onde faz visitas a amigos e correligionários. Filho do vice-prefeito de Natal Álvaro Dias, Adjuto tem seu nome lembrado por várias pessoas para a disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa em 2018.

Nova geração de jovens empresários e profissionais liberais, marca presença no carnaval de Caicó

A juventude e nova geração de médicos, advogados, profissionais liberais, empresários e caicoenses promissores, marcaram presença no carnaval, caindo na folia momesca do município. Como se mostra na imagem, Ítalo Diego, doutor Gabriel, doutor Adson, delegado da polîcia civil Adjuto Neto e Tales Rangel estiveram presentes nos dias da folia de momo em Caicó. É importante destacar que Adjuto Neto é o presidente municipal do PMDB e possível candidato a deputado estadual nas eleições 2018. Seu nome vem ganhando força e respaldo da população em Caicó e no Seridó.

A renovação da política caicoense vem ganhando nova força e contorno, com possíveis desdobramentos e reflexos para o futuro. Além de Adjuto Neto, que pode pleitear uma vaga no legislativo potiguar, outros nomes podem despontar em outras disputas nas eleições de 2020, como o próprio doutor Gabriel, Ítalo Diego, Talles Rangel, ou o advogado Adson Soares.

Um nome de Caicó

Sempre presente em eventos da cidade de Caicó, o delegado de polícia, Adjuto Neto, filho do vice-prefeito de Natal, Álvaro Dias, é o nome mais lembrado pela sociedade caicoense para concorrer à vaga na assembléia legislativa do estado deixada pelo pai.

Adjuto Neto fez questão de está em Caicó no carnaval e percorrer as avenidas do frevo, além de visitar amigos e familiares. Ele integra os quadros do PMDB local. No meio político, Adjuto é visto como um ótimo nome para disputar as próximas eleições.

Mancuzo é recebido pelo vice-prefeito Álvaro Dias e deve ingressar no PMDB

O vice-prefeito de Natal, e filho de Caicó, Álvaro Dias, está na terrinha. Na granja Caiçara, onde descansa ao lado da esposa e do filho, o delegado Adjuto Neto, Álvaro recebeu amigos e políticos, entre eles: o ex-vereador do PHS/Caicó, Cícero Bezerra (Mancuzo).

A conversa entre Álvaro e Mancuzo ainda está nos bastidores, mas sabe-se que o ex-vereador deve ingressar no PMDB caicoense, que passa por reestruturação, e dentro desse conceito, Adjuto Neto é visto como pré-candidato a deputado estadual no lugar do pai.

Adjuto Neto intensifica caminhada no Seridó

O presidente municipal do PMDB de Caicó, o jovem Adjuto Neto, filho do vice-prefeito de Natal, Álvaro Dias, é tido com provável candidato a deputado estadual nas eleições de 2018, caso seu pai, assuma a prefeitura de Natal, com a desincompatibilização de Carlos Eduardo, atualmente nome mais lembrando para concorrer ao governo do estado.

Além de participar de encontros e reuniões com lideranças em Caicó, Adjuto Neto, foi visto recentemente prestigiando a Festa de São Sebastião, em Parelhas ao lado do atual prefeito, Alexandre Dantas (PMDB) e de outras lideranças locais. Mais >

Presidente do PMDB; caicoense Adjuto Neto participa de festividades em Caicó

0a
O jovem Adjuto Neto, presidente municipal do PMDB e citado como provável candidato a deputado estadual pelo partido em 2018, continua participando de eventos na cidade de Caicó.
Na noite deste sábado (11), ele participou do jantar da Festa de Santa Marta de Betânia, padroeira do bairro Penedo. No jantar, ele esteve acompanhado da ex-senadora e vereadora eleita de Caicó, Ivonete Dantas e do advogado Adson Soares.
Além da festividade religiosa, Adjuto Neto fez visitas na parte do dia à zona rural do município.

Adjuto Neto participa de evento religioso em Caicó

0-a
O presidente municipal do PMDB de Caicó, Adjuto Neto, esteve participando neste final de semana dos festejos a Nossa Senhora das Graças, no abrigo dispensário Pedro Gurgel. Ele esteve acompanhado de amigos e correligionários que também participam dos festejos anualmente.
Após participar das atividades religiosas, ele também participou das atividades sociais da festa caicoense.
Adjuto Neto tem se destacado ultimamente em eventos socais no município de Caicó, sempre presente e atento aos acontecimentos sociais e importantes do município. “Temos sempre permanecidos presentes aqui em Caicó preocupados com a nossa população, isso é muito importante”, disse ele.

Adjuto Neto aproveita feriadão para visitar amigos e eventos na cidade de Caicó

O delegado de Polícia Civil, Dr. Adjuto Neto, presidente do PMDB caicoense, aproveitou o feriadão para visitar amigos, familiares e eventos na cidade de Caicó. No sábado à noite, Adjuto esteve representando o pai, deputado Álvaro Dias, na feira de negócios do SEBRAE, na Ilha de Santana, depois, seguiu para o Forró do Manhoso.

Na festa do Sítio manhoso, o delgado estava ladeado dos amigos: Paulo Jorge (PJ), José da Ótica, vereador Odair Diniz, Thales, Edeilson, Iran, Josimar Nóbrega (presidente da associação do Umari) e outros amigos, e ficou curtindo a grande festa até às 4:00 horas da manhã. Sobre política, Adjuto Neto não quis falar sobre o pleito de 2018.